Professor Hariovaldo Almeida Prado

27 maio 2009

Ode ao verdadeiro estadista

Filed under: Relatos Pessoais — Hariovaldo @ 14:01

Ao ler este primoroso poema, do nosso querido irmão em São Serapião, Visconde Zé, em homenagem ao mais augusto dos líderes brasileiros, a emoção tocou minh’alma e eu, assim como todos os meus assessores fomos as lágrimas pelo sentimento  e pela saudade do tempo em que os homens bons ainda podiam se orgulhar do governo do Brasil.

Segue essa primorosa obra de arte.

—————————————————————————————————————-
“Entretanto, vamos falar de coisas alegres. Aquí vão alguns versinhos singelos que traduzem a nostalgia de minha alma nesses tempos tão difíceis que estamos atravessando:

O TUCANO SAUDOSO

Ah que saudades que eu tenho
Do governo Fernando Henrique
Nosso ex-presidente mais chique
Homem instruído e tolerante
Exceto com a corrupção
Cujo combate levou adiante
Com ousadia, destemor e convicção

Ah que saudades que eu tenho
Daqueles tucanos geniais
Que privatizaram as estatais
Fazendo tudo direitinho
Sem roubar sequer um centavinho
Como sou grato àqueles Varões de Plutarco
Que fizeram da privatização da Vale um marco
Então comemorado alegremente
Enquanto os compradores, coitados
Totalmente ludibriados e enganados
Até hoje se arrependem amargamente!

Ah que saudades que eu tenho
Daquele governo de vestais
Em que não se roubava jamais
Mesmo no Congresso
A única preocupação era o progresso
Não existia troca-troca
Os congressistas tudo votavam
Sem receber nada em troca
E ninguém jamais foi acusado
De qualquer malfeitoria
Enquanto o país avançava
Num clima de paz, progresso e harmonia
Com o povo sempre a festejar
Só a imprensa se desesperava
Sem nada de mal pra falar…

Ah que saudades que eu tenho
Daquela época de ouro
Em que vigiava o tesouro
O inesquecível Dr. Geraldo Brindeiro
Um valente procurador
E intransigente justiceiro
Que angariou então justa fama
Levando os corruptos a viver um drama
Obrigados a tirar férias coletivas
Durante toda a era tucana!

Foi um drama coletivo
Coisa triste de se ver
Milhares de corruptos coçando o saco
Sem ter nada pra fazer
Antes tão ativos e risonhos
Agora deprimidos e tristonhos
Proibidos de roubar
Não encontravam razões para viver
Mergulhados em crises existenciais
Ausentes das manchetes dos jornais
Lamentando sua falta de sorte
Pois um corrupto que se preza
À inatividade prefere a morte
Os corruptos viviam em grande tédio
E em grave crise de abstinência
Aguardando com impaciência
Numa tristeza de lascar
A chegada de novos tempos
Quando então, sem contratempos
Pudessem voltar a roubar!

Com o fim da era tucana
Tendo os gatos ido embora
Dos ratos era chegada a hora
Os corruptos enfim recuperaram
A alegria de viver
E em grandes festas comemoraram
A sua volta ao poder

Ah que saudade que eu tenho daquele tempo
Em que o Fernando de tudo cuidava
E como o Farol de Alexandria
Ele, generoso, nos apontava
O caminho da paz e da harmonia

Ah que saudades que eu tenho!
Daqueles pobres acomodados
Tão tranquilos, tão sossegados
Que além de saber votar
Ainda reconheciam o seu lugar
Hoje está tudo diferente
Qualquer um pensa que é gente
E só quer saber de reivindicar
Tem “sem casa”, “sem terra” e agora, suprema perfídia!
Ousam criticar até nossa impoluta mídia
Tão isenta, democrática e plural
Inventando um movimento dos “sem mídia”
Pra tirar a mídia do seu pedestal!

Ah que saudades que eu tenho
Daquele mundo perfeito
Em que o povo votava direito
Hoje a situação está de chorar
Chegamos até ao extremo
De fazer aliança com os demos
Pra ensinar de novo o povo a votar!

Visconde Zé da Silva Brasileiro”

Anúncios

43 Comentários »

  1. Bravo, bravíssimo!

    Admirável Visconde Zé, que inefável artista tu és! Que esta nostálgica obra seja um estímulo para que os bons tempos voltem em 2010.

    Congratulações, artífice da Língua Portuguesa.

    Abraços fraternos,

    Comentário por Dom Leon — 27 maio 2009 @ 14:26 | Responder

  2. Meus caros:

    Urge enviarmos essa bela demonstração do uso da inculta e bela para todos aqueles que como nós são irmãos em São Serapião! Acredito que o irmão Arnaldo Jabor seria capaz de recitá-la de maneira gloriosa no Jornal da Globo!

    Alvissaras!

    Comentário por Claudio Roberto Basilio — 27 maio 2009 @ 14:31 | Responder

  3. Justissima homenagem do nosso inefavel guru,ao nao menos inefavel Visconde Zé da Silva Brasileiro!!!
    Uma verdadeira”ilíada”brasileira!

    Comentário por Maria Anonima — 27 maio 2009 @ 14:57 | Responder

  4. NÓS já avisamos ou voçês se calam ou vamos CORTAR AS SUAS CABEÇAS e exibí-las ao público nas FEIRAS DE SÃO CRISTOVÃO E DE CARUARU,com destaque maior para cabeça de seu GURU,O TAL DE HARIOVALDO DE ALMEIDA PRADO.ela ficará em cima de um pau de sebo E SERÁ ADORNADA COM CHIFRES DE VEADO.

    Comentário por GATO PRETO — 27 maio 2009 @ 15:17 | Responder

  5. Embora eu não tenha fé no vosso São Serapião, peço encarecidamente as vossas orações para o pobre Visconde Zé da Silva Brasileiro que está doido de jogar pedra. Imaginem que no post anterior (Com a gentalha no poder não há democracia), ele pede ao Professor Hariovaldo. “em nome da pluralidade e da democracia” que os meus comentários sejam censurados!. É a primeira vez que eu vejo na Internet brasileira um pedido de censura em nome da pluralidade e da democracia. Um absurdo desses somente pode ser explicado pelo desvario mental do Visconde. Como é que o blog pode ser democrático e plural se vier a censurar os comentários contrários?

    Além disso o pobre Visconde, como se fosse um Dom Quixote brasileiro, deu para idealizar a era tucana em versinhos de pés quebrados, defendendo até as privatizações cercadas de suspeitas e tão danosas aos interêsses nacionais, assunto que o Sr. Nacional Popular tem abordado com muita profundidade neste blog. Ademais para alguém que confessou aquí, candidamente e sem desconfiar de nada, que a sua amantíssima esposa não pára mais em casa por estar acompanhando o seu jovem professor de tênis, o plebeu Ricardo, em torneios no exterior, é perfeitamente explicável que acredite em “governo de vestais” e não desconfie das privatizações…

    O que me espanta é que vocês estejam dando corda para as maluquices do Visconde, que já não consegue distinguir a fantasia da realidade. É um caso de internação urgente!

    Um abraço a todos,

    Brasileiro Revoltado Sem Eira Nem Beira da Silva

    Comentário por Brasileiro Revoltado Sem Eira Nem Beira da Silva — 27 maio 2009 @ 19:30 | Responder

    • Caro Brasileiro Revoltado,
      Quanta falta de sensibilidade para com as doces palavras do irmão Visconde…
      Enquanto vc chora de raiva eu choro de emoção ao relembrar tão bons tempos em que a turba ignara estava em seu devido lugar.
      Como pode vc duvidar da condição mental do visconde? E como pode duvidar de sua fidelíssima esposa? Conheço a viscondessa e ela apenas é uma amiga atenciosa de seu professor de tenis. Aliás, minha esposa condessa viaja frequentemente com um time de rugby australiano, ela simplesmente adora o esporte, como posso eu ser contra ao lazer de minha direitíssima esposa?
      Ora, pare de procurar o Sr chifre em cabeça de cavalo!
      Arrependa-se de seus pecados senão sentirás a força e a potência do sagrado cajado de São Serapião!
      Alvíssaras!

      Comentário por Conde Glennlane — 28 maio 2009 @ 00:01 | Responder

  6. Indestrutível Mestre,

    Tal obra se reveste da grandeza só trazida a luz da humanidade por gênios do quilate de um Camões, de um Homero, de um Corneille e outros tantos.

    Tal ode deveria ser incluída no material didático, de excelente qualidade, distribuído por José Chirico à todas as escolas públicas.

    Comentário por Joseph Hill — 27 maio 2009 @ 20:49 | Responder

    • Ilustríssimo Sr. Hill,

      Até poderia concordar com sua brilhante idéia, porém a massa ignara primitiva está inapta à ser agraciada com tal inebriante obra-prima.

      Tal gente não soube apreciar o material lúdico-educacional, distribuído pelo magnífico futuro Presidente, com vistas à reduzir a gestação precoce, as doenças sexualmente transmissíveis e a proliferação daqueles que compõem a base da pirâmide. A plebe não teve sensibilidade de compreender tão ideário plano e com sua voluptuosidade à flor-da-pele interpretou mal mais uma ajuda assistencial do governo.

      Ainda emostaremos nossa pátria com decência, pluralidade e democracia novamente.

      Alvísseras

      Comentário por Dom Leon — 28 maio 2009 @ 07:57 | Responder

  7. Sinto que esta ladainha da mídia sobre o terceiro mandato para Lula na verdade é uma campanha contra a candidatura de Lula em 2014 que, pasmem, também, é considerada pela imprensa-esgoto como “terceiro mandato”.

    Claro que se trata do lançamento pela mídia-esgoto contra o retorno de Lula em 2014, enfim isto não passa de lançamento de uma tese pela ditadura midiática. Até parece que o imprensalão adora tanto Lula que defende o terceiro mandato.

    Claro que não se trata disso e sim uma forma de preparar o terreno contra a candidatura de Lula em 2014, anotem o que estou dizendo. Haverá uma forte campanha contra a candidatura de Lula em 2014 ou em qualquer tempo neste País, de forma que esta cantoria do imprensalão faz parte desta estratégia, é como se o povo não pudesse escolher seu próprio destino, daí a invenção da tese “A Perpetuação de Lula no Poder.”

    Perpertuar-se mesmo no poder só é permitido, por exemplo, aos tucanos-demos-pefelês em SP. Deve ser inveja destes safados, já que FHC não pode se candidatar novamente. Não porque a lei o permita.

    O povo é que não permite o retorno de FHC, o boca de chulapa que fez de tudo para levar o Brasil à falência total, indispensável enumerar os esforços do traste para destruir por completo esta nação.

    O império midiático não aceita que Lula seja presidente deste Pais nem agora nem nunca novamente. Como pode um peão governando o Brasil?
    Como fica a turma do chá das 5? Por sinal, um chá que não foi proibido, apenas uma boa parcela da população começou a comer mais um pouco. Nem isto é permitido pela incrível elite brasilis.

    Comentário por jose carlos lima - clique aqui para ir ao meu blog — 28 maio 2009 @ 03:55 | Responder

    • Para impedir Lula de voltar em 2014, é só aprovarem uma lei de que só com NÍVEL SUPERIOR se teria condição de ser presidente. Ainda mais se falar mais de um idioma (ou rezar em latim) e as iniciais for FHC. Daí não tem choro.

      Comentário por Luiz — 28 maio 2009 @ 14:15 | Responder

  8. BOLSONARO PRESIDENTE!
    MIRIAM LEITÃO PARA VICE!

    Comentário por emerson xavier — 28 maio 2009 @ 08:33 | Responder

  9. Belissima ode aos verdadeiros homens de bem!!!!

    Comentário por Carlos — 28 maio 2009 @ 08:45 | Responder

  10. Nostalgia… Que sentimento gostoso… Bons e velhos tempos do nosso D. Fernando II… Nosso guia e farol. Quem sabe em 2010 não estaremos com o nosso guia de volta? Evoé!!!!

    Comentário por Comendador Giovani Capelleti — 28 maio 2009 @ 09:09 | Responder

  11. Acabei de ler no mais sério sítio eletrônico de notícias da América Latina que outro “equívoco foi realizado pela governo de São Paulo”. Com a manchete “Governo de SP envia livros inadequados a alunos da 3ª e 6ª séries”. Isso denota que as organizações Globo, grande legado do grandioso homem bom Roberto Marinho (que São Serapião o tenha), teve sua índole maculada com a infiltração rubra do movimento desordeiro que transvia a retidão ideológica de nossa amada e idolatrada pátria.

    Magnânimo Professor Hariovaldo, faça uso do seu dom da escrita e desmoralize os infiéis que ousam se levantar contra nós.

    Alvíssaras,

    Comentário por Dom Leon — 28 maio 2009 @ 14:43 | Responder

  12. Caro primo-professor
    Este exemplo de alta literatura e justa homenagem a FHC (o rei dos preços baixos) é comovente. Um nó na garganta e uma paralização dos membros foi o resultado da profunda emoção. Este exemplo edificante devia vir seguido de outros como discursos do nobre deputado Jair Bolsonardi, declarações morais de Paulo Maluf, lições de moral de Arnold Jabour e Alexander Garcia, comentários econômicos de Miriam Little Pig, conselhos médicos de José Chirico Serra e etc.
    Faça-nos outros brindes desse quilate.
    Seu parente e admirador
    Kid Prado

    Comentário por Melchíades A. Prado — 28 maio 2009 @ 15:39 | Responder

  13. Coroné Oriovaldo,

    Peço licença de Vosmecê para colocar aqui nesse sitio (ou é fazenda?) o poema que meu minino Cleberson Washington aprendeu hoje em sua escola, administrada pelo grande homem, Dotê Serra. Lá vai, espero que vosmecê e os otro coroné aprecie.
    Que tens, caralho, que pesar te oprime
    que assim te vejo murcho e cabisbaixo
    sumido entre essa basta pentelheira,
    mole, caindo pela perna abaixo?

    Nessa postura merencória e triste
    para trás tanto vergas o focinho,
    que eu cuido vais beijar, lá no traseiro,
    teu sórdido vizinho!

    Que é feito desses tempos gloriosos
    em que erguias as guelras inflamadas,
    na barriga me dando de contínuo
    tremendas cabeçadas?

    Qual hidra furiosa, o colo alçando,
    co’a sanguinosa crista açoita os mares,
    e sustos derramando
    por terras e por mares,
    aqui e além atira mortais botes,
    dando co’a cauda horríveis piparotes,
    assim tu, ó caralho,
    erguendo o teu vermelho cabeçalho,
    faminto e arquejante,
    dando em vão rabanadas pelo espaço,
    pedias um cabaço!

    Um cabaço! Que era este o único esforço,
    única empresa digna de teus brios;
    porque surradas conas e punhetas
    são ilusões, são petas,
    só dignas de caralhos doentios.

    Quem extinguiu-te assim o entusiasmo?
    Quem sepultou-te nesse vil marasmo?
    Acaso pra teu tormento,
    indefluxou-te algum esquentamento?
    Ou em pívias estéreis te cansaste,
    ficando reduzido a inútil traste?
    Porventura do tempo a dextra irada
    quebrou-te as forças, envergou-te o colo,
    e assim deixou-te pálido e pendente,
    olhando para o solo,
    bem como inútil lâmpada apagada
    entre duas colunas pendurada?

    Caralho sem tensão é fruta chocha,
    sem gosto nem cherume,
    lingüiça com bolor, banana podre,
    é lampião sem lume
    teta que não dá leite,
    balão sem gás, candeia sem azeite.

    Porém não é tempo ainda
    de esmorecer,
    pois que teu mal ainda pode
    alívio ter.

    Sus, ó caralho meu, não desanimes,
    que ainda novos combates e vitórias
    e mil brilhantes glórias
    a ti reserva o fornicante Marte,
    que tudo vencer pode co’engenho e arte.

    Eis um santo elixir miraculoso
    que vem de longes terras,
    transpondo montes, serras,
    e a mim chegou por modo misterioso.

    Um pajé sem tesão, um nigromante
    das matas de Goiás,
    sentindo-se incapaz
    de bem cumprir a lei do matrimônio,
    foi ter com o demônio,
    a lhe pedir conselho
    para dar-lhe vigor ao aparelho,
    que já de encarquilhado,
    de velho e de cansado,
    quase se lhe sumia entre o pentelho.
    À meia-noite, à luz da lua nova,
    co’os manitós falando em uma cova,
    compôs esta triaga
    de plantas cabalísticas colhidas,
    por sua próprias mãos às escondidas.

    Esse velho pajé de pica mole,
    com uma gota desse feitiço,
    sentiu de novo renascer os brios
    de seu velho chouriço!

    E ao som das inúbias,
    ao som do boré,
    na taba ou na brenha,
    deitado ou de pé,
    no macho ou na fêmea
    de noite ou de dia,
    fodendo se via
    o velho pajé!

    Se acaso ecoando
    na mata sombria,
    medonho se ouvia
    o som do boré
    dizendo: “Guerreiros,
    ó vinde ligeiros,
    que à guerra vos chama
    feroz aimoré”,
    – assim respondia
    o velho pajé,
    brandindo o caralho,
    batendo co’o pé:
    – Mas neste trabalho,
    dizei, minha gente,
    quem é mais valente,
    mais forte quem é?
    Quem vibra o marzapo
    com mais valentia?
    Quem conas enfia
    com tanta destreza?
    Quem fura cabaços
    com mais gentileza?”

    E ao som das inúbias,
    ao som do boré,
    na taba ou na brenha,
    deitado ou de pé,
    no macho ou na fêmea,
    fodia o pajé.

    Se a inúbia soando
    por vales e outeiros,
    à deusa sagrada
    chamava os guerreiros,
    de noite ou de dia,
    ninguém jamais via
    o velho pajé,
    que sempre fodia
    na taba na brenha,
    no macho ou na fêmea,
    deitando ou de pé,
    e o duro marzapo,
    que sempre fodia,
    qual rijo tacape
    a nada cedia!

    Vassoura terrível
    dos cus indianos,
    por anos e anos,
    fodendo passou,
    levando de rojo
    donzelas e putas,
    no seio das grutas
    fodendo acabou!
    E com sua morte
    milhares de gretas
    fazendo punhetas
    saudosas deixou…

    Feliz caralho meu, exulta, exulta!
    Tu que aos conos fizeste guerra viva,
    e nas guerras de amor criaste calos,
    eleva a fronte altiva;
    em triunfo sacode hoje os badalos;
    alimpa esse bolor, lava essa cara,
    que a Deusa dos amores,
    já pródiga em favores
    hoje novos triunfos te prepara,
    graças ao santo elixir
    que herdei do pajé bandalho,
    vai hoje ficar em pé
    o meu cansado caralho!

    Vinde, ó putas e donzelas,
    vinde abrir as vossas pernas
    ao meu tremendo marzapo,
    que a todas, feias ou belas,
    com caralhadas eternas
    porei as cricas em trapo…
    Graças ao santo elixir
    que herdei do pajé bandalho,
    vai hoje ficar em pé
    o meu cansado caralho!
    Sus, caralho! Este elixir
    ao combate hoje tem chama
    e de novo ardor te inflama
    para as campanhas do amor!
    Não mais ficará à-toa,
    nesta indolência tamanha,
    criando teias de aranha,
    cobrindo-te de bolor…

    Este elixir milagroso,
    o maior mimo na terra,
    em uma só gota encerra
    quinze dias de tesão…
    Do macróbio centenário
    ao esquecido mazarpo,
    que já mole como um trapo,
    nas pernas balança em vão,
    dá tal força e valentia
    que só com uma estocada
    põe a porta escancarada
    do mais rebelde cabaço,
    e pode em cento de fêmeas
    foder de fio a pavio,
    sem nunca sentir cansaço…

    Eu te adoro, água divina,
    santo elixir da tesão,
    eu te dou meu coração,
    eu te entrego a minha porra!
    Faze que ela, sempre tesa,
    e em tesão sempre crescendo,
    sem cessar viva fodendo,
    até que fodendo morra!

    Sim, faze que este caralho,
    por tua santa influência,
    a todos vença em potência,
    e, com gloriosos abonos,
    seja logo proclamado,
    vencedor de cem mil conos…
    E seja em todas as rodas,
    d’hoje em diante respeitado
    como herói de cem mil fodas,
    por seus heróicos trabalhos,
    eleito rei dos caralhos!

    Comentário por Severino de Jesus — 28 maio 2009 @ 22:04 | Responder

    • “Esse velho pajé de pica mole”, = SERRA

      Comentário por vip mala — 29 maio 2009 @ 12:32 | Responder

    • Eu já sabia. O governo de José Chirico com todo o seu apoio às artes e à educação resultaria nisso aí: II Semana de Arte Moderna. Desde 1922 São Paulo não mostrava um vai-e-vem tão frenético e um gozo tão prolongado. Esta realmente foi do c……! (complete com a palavra-tema exata)

      Comentário por Melchíades A. Prado — 29 maio 2009 @ 14:56 | Responder

  14. Que este poema sirva de exemplo para todos os alunos do ensino fundamental doEstado de SãoPaulo…poemas deste quilate e teor mais os livros didaticos que o GRANDE SERRA esta proporcionando as crianças, logo mais teremos passado a perna naqueles indus atrasados em 5000…o Kama Sutra ja era …nossas crianças não poderiam ficar a margem do desenvolvimento e nosso guru se antecipou e criou o metodo Serrasex…

    Comentário por sonia divina — 29 maio 2009 @ 00:35 | Responder

  15. Esse senhor Brasileiro Revoltado, meu perseguidor implacável, sem apresentar sequer um mísero argumento para me contestar, comparece mais uma vez aquí no blog para me desmoralizar, alegando duvidar da minha sanidade mental.

    Para provar que estou em perfeito uso de minhas faculdades mentais, depois de defender o governo e as privatizações tucanas em versos, faço-o, com a convicção dos justos, também em prosa.

    Na ausência de argumentos sólidos, os críticos das privatizações tucanas, a exemplo dos senhores Brasileiro Revoltado e Nacional Popular, usam as muletas da maledicência, do “ouvir dizer” e das insinuações maldosas contra a honra daqueles patriotas que, tendo por exclusivo norte os legítimos interêsses nacionais, participaram, com desprendimento e generosidade, daquele processo que significou, na verdade, o mergulho do nosso país na modernidade capitalista.

    Desconheço a repercussão das privatizações entre a plebe ignara pois não frequentava e continuo não frequentando tais ambientes. Todavia posso assegurar que essas privatizações foram recebidas com grande euforia nos ambientes mais requintados, nas associações patronais, na bolsa de valores, no mercado financeiro, na imprensa nacional, etc. Na imprensa internacional jorravam elogios. Eu mesmo ficava muito emocionado por saber que, finalmente, estávamos conseguindo reconhecimento internacional.

    A incompreensão dos contemporâneos costuma alcançar os grandes condutores, estadistas e guias dos povos. Alexandre, Júlio César, Napoleão Bonaparte, a exemplo do nosso Fernando Henrique, o Grande, também sofreram incompreensões.

    Vou lhes dar um exemplo do que está acontecendo em relação à privatização da Vale. Questiona-se o valor de avaliação das reservas. Ora, essas avaliações foram conduzidas por pessoas probas, de grande capacidade técnica, e foram referendadas por instituições de reputação ilibada. Um dos maiores bancos privados nacionais participou dessas avaliações e emprestou sua credibilidade ao processo. A verdade verdadeira é que a Vale então não valia nada e foi realmente vendida por um valor absurdo, num processo vergonhoso de expropriação dos seus então ingênuos compradores, cuja única motivação era prestar um grande e patriótico serviço ao estado brasileiro, aliviando-o de um pesado e inútil fardo. Posteriormente é que foram descobertas as reservas que multiplicaram o seu valor o que propiciou aos compradores o justo ressarcimento pelo bilionário prejuízo que então tiveram.

    Finalmente lanço um desafio definitivo em defesa das privatizações tucanas. Na esfera penal, desafio os críticos a apontar o nome de pelo menos uma pessoa que tenha passado sequer um dia na prisão por conta dessas privatizações. Na esfera civíl, igualmente, desafio os críticos a apresentar o nome de pelo menos uma pessoa que tenha sido condenada. Não havia o que criminalizar na esfera penal e nem houve o que devolver na esfera civíl porque o processo foi, desde o início, claro, límpido e transparente.

    Desejo repudiar aquí mais uma insinuação malévola de cunho pessoal por parte do Sr. Brasileiro Revoltado. É fato que a minha amantíssima e digníssima esposa está acompanhando o seu jovem professor de tênis, o plebeu Ricardo, em torneios no exterior. Todavia ao contrário do que insinua a mente suja do Sr. Revoltado Sem Eira Nem Beira, a Viscondessa já me explicou que a sua presença nesses torneios é indispensável para o aperfeiçoamento da sua técnica e estilo no esporte. Ademais, a Viscondessa nunca me esquece. Esteja onde estiver, sempre me manda emails carinhosos dizendo que me ama e que eu sou o melhor marido do mundo. A insuspeitíssima Condessa Glennlane, entusiasta do rugby, também viaja constantemente com um time de rugby australiano sem causar qualquer preocupação ao meu nobre amigo Conde Glennlane.

    Finalmene gostaria de registrar aquí meus parabéns ao coronel Severino de Jesus pelo magnifíco poema do seu pimpolho Cleberson Washington, magnifico exemplar resultante da educação paulista que , sem dúvida nenhuma, um dia estará convivendo com os imortais da nossa Academia Brasileira de Letras, numa prova inequívoca da qualidade da política educacional do nosso presidenciável José Serra. Oxalá possamos, a partir de 2010, implantar em todo o Brasil os salutares princípios que norteiam hoje a educação paulista.

    Um fraternal abraço do vosso amigo,

    Visconde Zé da Silva Brasileiro

    Comentário por Visconde Zé da Silva Brasileiro — 29 maio 2009 @ 12:35 | Responder

    • Nobre Visconde, apesar de minha timidez, não pude deixar de cumprimentá-lo ao ler tão belas palavras em seu poema. Isso prova, que além de um homem nobre, você deve ser um privilegiado com rara visão e inteligência. Não ligue para as críticas infundadas do senhor Brasileiro Revoltado, pois lembre-se que o que vem das classes baixas, não pode nos atingir. Quanto à dedicação a sua esposa, inclusive bancando sua viagens , visando exclusivamente um upgrade em seu jogo de tênis, é algo notável. Inclusive, meu marido, o Barão Alfredo Agulha, participa este mês de um curso intensivo de cricket em
      Cambridge, e de forma a poder manter sua rotina profissional, irá acompanhado de sua secretária, uma jovem gaúcha, esforçada, que fará sua primeira viagem ao exterior. De toda forma, com a ausência do Barão, e visando tirar este sentimento de solidão que as vezes sinto em minha grande casa, gostaria de convidá-lo para tomar um chá em minha mansão. Meus serviçais cuidarão dos detalhes. Nobres cumprimentos.

      Comentário por Baronesa Paula Tejando de Moura Andrade Rolim Cavalcanti Setubal — 29 maio 2009 @ 14:28 | Responder

    • Magnífico Shakespeare contemporâneo, marajá alfabético, Michelangelo das penas e alfarrábios, Homem letrado e sapiente… inefável artífice da Língua Portuguesa, como eu o havia batizado em nome de São Serapião anteriormente, ilustre e amado Visconde Zé da Silva Brasileiro, que de tão humilde coração tem “Silva” no nome, mas diferente do usurpador Lula da Silva, é um varão letrado que contribui intensamente para a literatura sociopolítica de uma nação tão sofrida pelo descontrole da mão rubra que (des)governa nossa envergonhada e cabisbaixa nação.

      É com imensa alegria que recebemos tão ilustre poeta nesta página. Meu intuito em responder suas bem escritas palavras é para informar-lhe que me solidarizo e me disponho à qualquer ajuda que queira. Vejo a injustiça que assola nossa um dia orgulhada pátria.

      Ignore as críticas destrutivas feitas propositalmente para difamar a imagem de um dos poucos homens bons da nação, vossa senhoria.

      Abraços cordiais,

      Dom Leon

      Comentário por Dom Leon — 29 maio 2009 @ 21:57 | Responder

  16. Verborréico, magnificente, prosopopéico, iluminado, poético, esplendoroso, ritmado, vesuviano, vulcânico, alighieresco Visconde Zézico, mon Fufufo du mon coeur;

    Esta vossa verve em prosa e versos fez ferver meu sangue, bem como outras partes pudendas, onde o sol bate somente em momentos imos.
    O senhor poderia fazer uma gravação disso tudo, com tua maviosa voz colossal, e enviar-me sem mais delongas? Isto, tal regalo, levaria-me aos píncaros do prazer serápico-nirvânicos.

    Estou aqui, abanando freneticamente minhas saias, mas o calor não passa.
    O senhor, Visconde, é pior que efeito estufa nas neves da minha Kilauea.

    Data vênia, xonei ainda mais no senhor e não me importa tua castidade.

    Comentário por Cacilda — 29 maio 2009 @ 17:52 | Responder

  17. Fiquei muito sensibilizado com a eloquente defesa do governo do nosso amado Fernando Henrique e das privatizações tucanas, por parte do meu grande amigo Visconde Zé da Silva Brasileiro. Enquanto muitos se omitem de modo covarde, o nosso Visconde afronta corajosamente os adversários, desafiando-os para o combate no campo das idéias, com argumentos poderosos, lógicos e contundentes.

    Suas palavras me transportaram para aquela época de ouro e eu fiquei muito emocionado. Os argumentos tanto em prosa como em versos foram irrespondíveis. Tenho a impressão de que depois dessa os senhores Brasileiro Revoltado, Nacional Popular e outros do mesmo quilate reconhecerão a sua derrota e a sua vergonha e não terão mais coragem de dar as caras aquí neste blog.

    Por outro lado, o poema de autoria do jovem Cleberson Washington é realmente de arrepiar. Falo com autoridade pois o poema aborda um tema que me afeta particularmente. É o melhor poema que eu já lí em lingua portuguesa. Finalmente nós, brasileiros, temos o nosso Camões na pessoa do talentoso filho do coronel Severino de Jesus. Como ando descrente com relação ao tratamento da medicina tradicional, talvez o amigo coronel possa me ceder uma poção do miraculoso medicamento.

    Saudações esperançosas,

    Grão Duque Lazar Kaganovich

    Comentário por Grão Duque Lazar Kaganovich — 29 maio 2009 @ 19:24 | Responder

  18. Vão tomar bem no meio do cú!!!!!!!!!

    bando de otários metidos a inteligentes… se fossem essa potencia toda que se julgam estariam bem melhor na vida, bando de mediocres.

    Comentário por TULIO — 29 maio 2009 @ 21:38 | Responder

    • O quê fazes aqui, seu lugar é o de escriba no palácio Chirico Serra.

      Comentário por vip mala — 30 maio 2009 @ 08:57 | Responder

  19. Caríssimo Visconde,
    por acaso descendes da linhagem de um Fernando Pessoa?
    Meu pobre coração palpita e a saudade invade minh’alma.
    Ela, a saudade
    Que vem me assaltar
    De tempos em que homens bons
    Tais,
    Governavam sem fraquejar
    Pois imbuídos-dos-dons
    Quanto tempo faz
    Que não vai voltar
    Mais
    Escutai os sons
    Da maldade
    Só nos resta
    Rezar.

    Comentário por Humberto Amadeu — 29 maio 2009 @ 21:42 | Responder

  20. O nobre filho do fidalgo Severino deve ter tido contacto na tenra idade com as “Obras Comentadas de Bocage”, provavelmente adotadas pela competente e iluminista Secretaria de Educação de São Paulo.
    Alvíssaras!

    Comentário por Humberto Amadeu — 29 maio 2009 @ 21:49 | Responder

  21. Os livros da Secretaria da Educação do nosso insigne JOSÉ CHIRICO SERRÁGIO são realmente “do caralho” !!

    Comentário por Anonimo — 29 maio 2009 @ 22:39 | Responder

  22. Coroné Oriovaldo e demais confrades,

    Fiquei muito orgulhoso de vosmecês ter apreciado o primeiro poeminha de meu menino Cleberson. Por isso, com vossa licença, vou colocar aqui um outro que ele fez hoje. Esse menino está ficando bom de mais da conta nesse negócio de escrever poesia. Tudo graças a esse bom homem, Dotô Serra, que sabe o que mandá insiná pra essa criançada. Lá vai o poema do moleque:

    Depois de lhe beijar meticulosamente
    o cu, que é uma pimenta, a boceta, que é um doce,
    o moço exibe à moça a bagagem que trouxe:
    culhões e membro, um membro enorme e turgescente.

    Ela toma-o na boca e morde-o. Incontinenti,
    Não pode ele conter-se, e, de um jacto, esporrou-se.
    Não desarmou porém. Antes, mais rijo, alteou-se
    E fodeu-a. Ela geme, ela peida, ela sente

    Que vai morrer: – “Eu morro! Ai, não queres que eu morra?!”
    Grita para o rapaz que aceso como um diabo,
    arde em cio e tesão na amorosa gangorra

    E titilando-a nos mamilos e no rabo
    (que depois irá ter sua ração de porra),
    lhe enfia cona adentro o mangalho até o cabo.

    Comentário por Severino de Jesus — 29 maio 2009 @ 23:39 | Responder

  23. ESTE BLOG MEIA BOCA ESTÁ PARECENDO UM SARAU DE POESIA E POR FALAR EM POESIA ONDE ESTÁ O POETA DAS OBRAS INFATO-JUVENIS OFERECIDAS PELA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO? DO MUI AMADO GOVERNADOR JOSÉ SERRAPIÃO.

    Comentário por NACIONAL POPULAR — 29 maio 2009 @ 23:56 | Responder

  24. PARAFRASEANDO O SLOGAN DE GOVERNO DE UM EX-PRESIDENTE MARANHENSE O PORNOSERRA PODERIA ADOTAR O SEGUINTE LEMA PARA O SEU “GOVERNO”.

    GOVERNO JOSÉ SERRA TUDO PELO SEXUAL.

    Comentário por NACIONAL POPULAR — 30 maio 2009 @ 00:03 | Responder

  25. OU PODERIA ADOTAR UM SLOGAN MELHOR DO TEMPO DA “DITABRANDA”.

    GOVERNO JOSÉ SERRA

    BRASIL AME OU ESTUPRE.

    Comentário por NACIONAL POPULAR — 30 maio 2009 @ 00:09 | Responder

  26. TUDO MUNDO SABE QUE O JOSÉ SERRAPIÃO ANDA TESUDO E TARADO PELA PRESIDÊNCIA DO BRASIL,MAIS FORNECER ESTE TIPO DE LITERATURA E POESIA PARA AS CRIANÇINHAS NÃO DÁ,.ONDE ESTÃO OS DEFENSORES DA MORAL E DOS BONS COSTUMES?ONDE ESTÃO AS BEATAS DE SÃO SERAPIÃO,POR ACASO ESTÃO METENDO A MÃO NA SALCICHA DOS MENINOS NA HORA DA MERENDA DA ESCOLA.

    Comentário por NACIONAL POPULAR — 30 maio 2009 @ 00:26 | Responder

  27. Caro Hariovaldo
    Quanto dos que aqui clamam, hoje, contra a pornoserragrafia adoraria ter em mãos em outros idos, o governo fornecendo, o que escondendo se buscava adquirir, reclamam hoje do que faziam ontem. Aguardemos a próxima peripécia de nosso amado, estimado, salve salve, Serra, o já proclamado presidente.
    Saudações

    Comentário por Avelino — 30 maio 2009 @ 06:56 | Responder

    • Caro avelino, na época em que só tinhamos acesso a esta literatura DE FORMA ESCONDIDA era muito mas gostoso e tesudo.AGORA O PORNOSERRA REALIZOU UMA OBRA NOTÁVEL EM SUA ADMINISTRAÇÃO,ESTATIZOU A PUNHETAGEM.

      Comentário por NACIONAL POPULAR — 30 maio 2009 @ 07:32 | Responder

  28. ó xenti, eu to axano qui u visconde zé, pra puder xegar num odi perfomantico
    desti, devi te xerado muito pó di pirlimpimpim, lá nu sitio du picapau amarelu,
    enormi rebuscamentu simiotico litirariu dignu di enfeita a sedi da UDR i tumbem
    a sala di Kammel,u dromedário.

    Comentário por Corneh Geneto — 30 maio 2009 @ 08:09 | Responder

  29. Integrantes da Sagrada Fraternidade,

    É lamuriante a inépcia intelectual da plebécula 90% da população desse país que vai de encontro ao movimento neo-iluminista moderno encabeçado pelo honesto e honorável JS (e esqueçam JK).

    Que São Serapião inicie a ablução política brasileira já!

    Dom Leon

    Comentário por Dom Leon — 30 maio 2009 @ 08:21 | Responder

  30. QUE SÃO SERAPICÃO INICIE A SUAS ABLUÇÔES SOBRE AS CRIANÇINHAS DE SÃO PAULO APÓS SUAS POLUÇÕES NOTURNAS PROVOCADAS PELOS LIVROS DO ZÉ VAMPIRO ZERRÁGIO.

    Comentário por O NACIONAL POPULAR — 30 maio 2009 @ 13:04 | Responder

  31. O patético Grão Duque Lazar Kaganovich disse no seu comentário acima que eu e o Nacional Popular não teríamos mais coragem de dar as caras aquí neste blog porque, supostamente, não teríamos condições de contestar os argumentos do Visconde de Sabugosa, ou melhor, do Visconde Zé da Silva Brasileiro. Pois o Sr. Nacional Popular, desmentindo o indigitado Grão Duque, deu as caras e postou nada menos do que seis comentários arrasadores com o brilhantismo e a contundência de sempre.

    Vejamos, ipsis literis, o argumento-desafio do tresloucado e insensato Visconde:

    “Finalmente lanço um desafio definitivo em defesa das privatizações tucanas. Na esfera penal, desafio os críticos a apontar o nome de pelo menos uma pessoa que tenha passado sequer um dia na prisão por conta dessas privatizações. Na esfera civíl, igualmente, desafio os críticos a apresentar o nome de pelo menos uma pessoa que tenha sido condenada. Não havia o que criminalizar na esfera penal e nem houve o que devolver na esfera civíl porque o processo foi, desde o início, claro, límpido e transparente”.

    Pobre Visconde de Sabugosa. Se a ausência de condenação fosse um argumento válido e viável, nós chegaríamos à conclusão de que os políticos brasileiros são, na verdade, os mais probos do hemistério ocidental e que essa percepção generalizada de corrupção endêmica por parte da sociedade brasileira não passa de uma alienação coletiva. Nos seus quarenta anos de existência, o nosso excelso pretório, o Supremo Tribunal Federal, não condenou nenhum político. Até mesmo o notório Dr. Paulo Salim Maluf vive alardeando o fato de que nunca sofreu uma condenação definitiva e assim todos se dizem inocentes ou “vestais da moralidade” como diz o simplório Visconde.

    O que me espanta é que vocês, supostos irmãos de fé do Visconde, em vez de tomar providências para a sua internação, ficam batendo palmas para maluco dançar, incentivando as fantasias do pobre homem que, a essa altura, como se fosse um Dom Quixote brasileiro, vive num mundo imaginário tal como o Dom Quixote espanhol, imortal personagem de Miguel de Cervantes. A única diferença é que a idealizada “Dulcinéia” do amalucado Visconde é o governo tucano.

    Quanto ao Grão Duque Lazar Kaganovich desejo sinceramente que a fórmula miraculosa do pajé goiano, a que se refere o poema do filho do coronel Severino de Jesus, possa resolver o seu problema.

    Sem mais delongas, vou encerrando por aquí porque eu tenho mais o que fazer do que ficar dialogando com doidos.

    Brasileiro Revoltado Sem Eira Nem Beira da Silva

    Comentário por Brasileiro Revoltado Sem Eira Nem Beira da Silva — 30 maio 2009 @ 14:30 | Responder

  32. Inefável Professor, verti uma lágrima e meia de pura emoção com o poema do brilhante Visconde. Estou sem fala … é muita emoção(atchin!)

    Comentário por Viscondessa Kinkinha Brandão Olivares — 31 maio 2009 @ 09:22 | Responder

  33. PSDB=PT.

    FHC=Lula.

    Só lutam para saber quando devem estar no poder.

    Porque eleição.Tirem no par ou ímpar ou ainad no palitinho.

    Peçam a São Serapião que faça a cabeça de Olavo de Carvalho para se candidatar a goverandor.

    Comentário por republicapaulista — 10 junho 2009 @ 18:55 | Responder

  34. Visconde Zé da Silva Brasileiro para a vaga na ABL!!!

    Comentário por Conde do Itaim Paulista — 28 agosto 2009 @ 16:33 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: