Professor Hariovaldo Almeida Prado

11 janeiro 2010

O caminho estreito e os caminhos largos

Filed under: Eleições 2010 — Hariovaldo @ 09:20
Templo

O caminho estreito é para o justo

José Serra, amado economista bandeirante, é um guia genial para os povos, porém os caminhos marxistas os fazem errar. Esforçai-vos em entrar pelo caminho estreito…

Nos verdadeiros tapetes de luxo em que se converteram as vias paulistas muitos pensam, mesmo que por instantes, estarem na Suiça, Alemanha, França ou Itália, mas pelas graças de São Serapião estão em São Paulo, estado administrado por aquele que está predestinado a remir toda a nação das agruras do petismo infernal. E o povo que andava errante pelas sendas do mal não mais sufocará sob as trevas da perdição pois encontrará em Serra todo apoio no caminho certo, indo em marcha firme até a redenção final.

Ao contrário do caminho largo da ditadura bolchevista do PT, o qual conduz às profundezas do inferno, trilhar o caminho estreito e certo não é de graça pois por esta estrada verdadeira há que se pagar o pedágio da salvação, a taxa simbólica da devoção ao bom governo dos homens bons, sem a qual nenhuma dessas vias abençoadas seriam possíveis.

Maoístas

Os agentes do comunismo se esforçam para vos levar para o caminho largo e sem pedágios, mas que levam ao inferno

Reclamam aqueles que estão contaminados pela chaga do petismo atroz que os preços dos pedágios seriam caros, mais caros que os pedágios americanos. Realmente o são pois as estradas paulistas são muito melhores que as highways desse país decadente que sucumbiu ao socialismo moreno, que são os Estados Unidos. Somente os seguidores de Lúcifer ficam insatisfeitos ao passar por um pedágio pois todo aquele que sabe o verdadeiro significado de tais portais da glória pagam com satisfação e clamam alvíssaras aos céus porque reconhecem em cada praça de pedágio um templo da sabedoria e da boa administração. Se mais não fossem, os pedágios estão cumprindo também uma importante função social, que é manter a gentalha afastada das vias, com seus calhambeques, com suas brasílias amarelas, com seus corcéis I 1979, com seus Passats 1981, sem falar nos gurgéis “bandeirantes”, etc.

O caminho certo é o caminho estreito e seguir por ele não é para qualquer um, tem que ter abnegação, desprendimento e disposição para pagar o preço da salvação, por isso os pedágios estão nas estradas que conduzem ao interior, nas estradas que conduzem ao campo, nas estradas que conduzem ao litoral, que conduzem ao Serra, que conduzem à glória para todo o sempre. Amém.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.