Professor Hariovaldo Almeida Prado

24 março 2010

Marcha dos cem mil tentará convencer líder: “Fica, Serra, fica!”

Filed under: Educação — Humberto @ 17:25

Mobilização pró-Serra

Milhares pedirão que Serra fique

Estimados confrades, discípulos, Arautos de São Serapião e prosélitos de Hariovaldo,

A tonitruante máquina de reescritura da História comete mais uma de suas perfídias, contra nosso estimado líder varonil.
É de pleno conhecimento que, desde Covas, passando pelo irmão Geraldo, somente com o grande timoneiro Serra é que os professores atingiram o patamar somente reservados a deidades.

Tal é o reconhecimento e esforço despendido pelo brilhante economista e engenheiro a esta tão valorosa casta de sábios, selecionados a dedo, e regiamente remunerados, que estes têm assumido a missão de divulgar à opinião pública nacional, mediante concorridos encontros e sit-ins semanais na bandeirante Avenida Paulista, as exemplares medidas tomadas pelo Estado de São Paulo que resultaram num incrermeto da qualidade do ensino jamais visto no Ocidente.

Porém, com a brilhante performance educacional apresentada pelos alunos paulistas, fruto de um planejamento superior que só poderia advir das mais brilhantes mentes e dos mais capazes administradores, o que deveria ser motivo de orgulho torna-se, no fim, motivo de apreensão. Direi-lhes o por quê. Diante da proximidade do pleito eleitoral que sucederá em Outubro, as hostes malignas do submundo marxista, incapazes de chegar sequer aos calcanhares de nossos gestores, e sem nada mais para mostrar ao populacho, a não ser o resultado da política bolchevista de terra arrasada levada a cabo pelo sangunário defensor de ditadores barbudos e nucleares, estes vermes escarlates começam a manifestar seu desconforto, pois a hora deles já chegou.
Assim, passam à velha manobra do manual stalinista, que prevê a reescrita da História, de modo a engambelar o público e fazer evitar que as pérfidas e nefastas verdades venham à superfície.

De modo que põem, a todo vapor, a máquina sem-vergonha de difamação, de inspiração gramsciana, cuja diretriz ordena que a realidade seja transformada em irrealidade e esta, oferecida ao público como sendo a verdade. Difícil de entender? Nem tanto.
Peguemos o caso dos professores paulistas. Houve uma manifestação monstruosa destes mestres, na sexta-feira passada. A concentração foi no MASP. O que chamada “imprensa” reportou disto? As manchetes foram algo como: “PROFESSORES FAZEM MANIFESTAÇÃO E COMPLICAM O TRÂNSITO”; “SÃO PAULO PÁRA, POR CAUSA DE PROFESSORES”.
Mentira? Oras, CLARO QUE NÃO. Os professores realmente deixaram de dar aula naquele dia, e se dirigiram ao cartão-postal da cidade, com o intuito de fazer a população saber o que se passa na área educacional deste Estado. Pararam o trânsito? Sim e não. Basta saber que, na Paulista, existem, inteligentemente, cerca de 5 estações de Metrô e, portanto, não havia bloqueio ao direito de “ir-e-vir” dos cidadãos. Porém, convenhamos, juntar 40 mil pessoas num só local, alguma dificuldade surgiria.

Mas, ao contrário do que esgoelou-se o PIG ( Pravda Inspira Guerrilheiros ) da KGB Lulista e seus 800 jornalistas na folha de pagamento da CUT, foi uma manifestação pacífica e ordeira que ocorreu na avenida Paulista. Os professores, preocupados com a iminência de perderem o líder que tanto os ama, apóia e conforta, espontâneamente saíram às ruas tentando demover Serra de sua idéia de assumir o Planalto e convencê-lo a reocupar o Palácio dos Bandeirantes. Pois, tendo em vista que o governo estadual poderá cair nas garras de uma “Martaxa”, é razoável esta preocupação dos mestres, e justifica seus esforços no sentido de fazer com que seu Líder não os deixe em tal situação de orfandade. Oras, ser paulista está acima de quaisquer outras questiúnculas. Se caso o país não tem mais conserto, após 8 anos de administração cambojana perpetrada por Lulla e seus assecllas, SP deverá ser a trincheira da Democracia, Desenvolvimento e paz social, diferentemente do que têm-se fora de nossas bandeirantes fronteiras. Se precisarem nosso irmãos sulistas lutar contra o marxismo cujo comando se encontra no Planalto Central, então a brava e patriótica Força Paulista lhes acudirá, somando os esforços que terminarão por escorraçar o esquerdopatismo deste país.

Assim pensam os professores e, por isso, desde já, convocam seus irmãos de docência a unirem-se e, em uníssino, em frente ao Bandeirantes, onde entoarão cânticos e louvores e tentarão sensibilizar seu amado líder para que permaneça em terras paulistas, continuando o brilhante trabalho que vem sendo desenvolvido. Afinal, em que outro estado desta federação de bananas, vemos petizes de tenros 5 anos de idade declamando Camões ou discutindo a Teoria da Dependência, bíblia dos  homens bons da Nação? Digam: onde?

Blog no WordPress.com.