Professor Hariovaldo Almeida Prado

16 janeiro 2011

Grande analogista brasileiro disseca ex-presidente parvo e apedeuta

Filed under: Relatos Pessoais — Hariovaldo @ 16:34
Tags: , , ,

Gullart

Reproduzo aqui a genial análise publicada no diário dos homens bons do  jovem poeta brasileiro, que além de mestre das letras, também é um grande pensador e brilhante analogista do cenário político nacional. Apesar de ser simpática ao ex-usurpador do Planalto em alguns trechos, não deixa de ser pertinente à realidade no contexto geral, o que demonstra que esse rapaz tem futuro.

FERREIRA GULLAR

Quando dois e dois são quatro

O tempo se encarregará de pôr as coisas no lugar. O presidente Médici também obteve 82% de aprovação

TALVEZ SEJA esta a última vez que escreva sobre o cidadão Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente do Brasil. Com alívio o vi terminar o seu mandato, pois não terei mais que aturá-lo a esbravejar, dia e noite, na televisão, nem que ouvir coisas como esta: “Ele é tão inteligente que fala todas as línguas sem ter aprendido nenhuma”. Pois é, pena que não fale tão bem português quanto fala russo.

É verdade que tivemos, ainda, que aturá-lo nos três últimos dias do mandato, quando “inaugurou” obras inexistentes e fez tudo para ofuscar a presidente que chegava.

Depois de passar a faixa, foi para um comício em São Bernardo, onde, até as 23h, continuava berrando no palanque, do qual nunca saíra desde 2002.

Aproveitou as últimas chances para exibir toda a sua pobreza intelectual, dizendo-se feliz por deixar o governo no momento em que os Estados Unidos, a Europa e o Japão estão em crise.

Alguém precisa alertá-lo para o fato de que a crise, naqueles países, atinge, sobretudo, os trabalhadores. Destituído de senso crítico, atribui a si mesmo (“um torneiro mecânico”) o mérito de ter evitado que a crise atingisse o Brasil. Sabe que é mentira mas o diz porque confia no que a maioria da população, desinformada, acreditará.

Isso dá para entender, mas e aqueles que, sem viverem do Bolsa Família nem do empréstimo consignado, veem nele um estadista exemplar, que mudou o Brasil? É incontestável que, durante o seu governo, a economia se expandiu e muita gente pobre melhorou de vida. Mas foi apenas porque ele o quis, ou também porque as condições econômicas o permitiram?

Vamos aos fatos: até a criação do Plano Real, a economia brasileira sofria de inflação crônica, que consumia os salários. Qual foi a atitude de Lula ante o Plano Real? Combateu-o ferozmente, afirmando que se tratava de uma medida eleitoreira para durar três meses.

À outra medida, que veio consolidar o equilíbrio de nossa economia, a Lei de Responsabilidade Fiscal, Lula e seu partido se opuseram radicalmente, a ponto de entrarem com uma ação no Supremo para revogá-la. Do mesmo modo, Lula se opôs à política de juros do Banco Central e ao superávit primário, providências que complementaram o combate à inflação e garantiram o equilíbrio econômico. Essas medidas, sim, mudaram o Brasil, preservando o valor do salário e conquistando a confiança internacional.

Lembro-me do tempo em que o preço do pão e do leite subia de três em três dias. Quem tinha grana, aplicava-a no overnight e enriquecia; quem vivia de salário comia menos a cada semana.

Se dependesse de Lula e seu partido, nenhuma daquelas medidas teria sido aplicada, e o Brasil -que ele viria a presidir- seria o da inflação galopante e do desequilíbrio financeiro. Teria, então, achado fácil governar?

Após três tentativas frustradas de eleger-se presidente, abandonou o discurso radical e virou Lulinha paz e amor. Ao deixar o governo, com mais de 80% de aprovação, afirmou que “é fácil governar o Brasil, basta fazer o óbvio”. Claro, quem encontra a comida pronta e a mesa posta, é só sentar-se e comer o almoço que os outros prepararam.

A verdade é que Lula não introduziu nenhuma reforma na estrutura econômica e social do país, mas teve o bom senso de dar prosseguimento ao que os governos anteriores implantaram. A melhoria da sociedade é um processo longo, nenhum governo faz tudo. Inteligente, mas avesso aos estudos, valeu-se de sua sagacidade, já que é impossível conhecer a fundo os problemas de um país sem ler um livro; quem os conhece apenas por ouvir dizer não pode governar.

Por isso acho que quem governou foi sua equipe técnica, não ele, que raramente parava em Brasília.

Atuou como líder político, não como governante, e, se Dilma fizer certas mudanças, pouco lhe importará, pois nem sabe ao certo do que se trata. Para fugir a perguntas embaraçosas, jamais deu uma entrevista coletiva. Afinal, ninguém, honestamente, acredita que com programas assistencialistas e aumento do salário mínimo se muda o Brasil.

O tempo se encarregará de pôr as coisas em seu devido lugar. O presidente Emílio Garrastazu Médici também obteve, em 1974, 82% de aprovação.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1601201118.htm

Anúncios

139 Comentários »

  1. Ao terminar de ler o brilhante libelo,morri!!
    Qdo eu recussitar eu escrevo!!

    Comentário por Marci — 16 janeiro 2011 @ 16:51 | Responder

  2. Prezado professor
    Esse homem deveria ser condecorado e elevado à condição de ministro eterno da cultura, diretor vitalício da Funarte e presidente secular da Academia Brasileira de Letras. Ferreira José de Ribamar é de uma lucidez espetaculosa, um homem culto e probo, um varão, um verdadeiro condestável, quiçá um Grão Vizir. Porque ó Brasil ignorais este ser?

    Comentário por Luiz Hespanha — 16 janeiro 2011 @ 16:51 | Responder

    • Por falar em Ilustres e Imortais…
      Uma dúvida me atormenta desde o raiar deste novo ano…

      Alguém aí sabe quem era aquela mulher gorda e meio desengonçada, com andar de pingüim, cabelo esquisito e faixa verde-amarela, que ficou o tempo todo tentando chamar a atenção da imprensa na posse da Marcela Temer?

      Comentário por Fabrício Poliana (puxa, que soninho...) — 18 janeiro 2011 @ 00:08 | Responder

      • Fabrício de pijamas: As sempre sagradas fumaças das folhas de chuchu desidratadass (ainda que e um tiquinho tomada por fungos), respondem: aquela é Tia Quiquinha, que com suas experiências de alquimista, transforma ovos normais em ovos de ouro, além de inventar “elixir de levitar”. Nas horas vagas (aquele dia, por exemplo) ganha uns troco como bodyguard. Conselho para Fabricios com soninho: schlafen gehen.

        Comentário por Mare Hollysmoke — 18 janeiro 2011 @ 01:14

  3. Magnifico Professor Hariovaldo,
    Felizmente nosso ilustre articulista fez uma revisão dos seus (dele) conceitos. Não sei se o sr. sabe ( é claro que sabe ) mas esse ex- comunista é o responsavel pela letra na nossa lingua nativa da Internacional Socialista, aquele hino comunista que visa entorpecer a mente dos incautos atraves da musica. Alvissaras, São Serapião seja louvado. Amem

    Comentário por Black Prince — 16 janeiro 2011 @ 16:52 | Responder

    • Deve ser por isso que na sede do PCB na rua Rego Freitas só cantam a versão portuguesa cuja a letra é muito mais bonita que a desse senhor.

      Comentário por Gilmar Motta — 16 janeiro 2011 @ 18:34 | Responder

      • Os homens de benz gostam mesmo é desta marchinha.

        Comentário por Locco — 17 janeiro 2011 @ 11:10

      • Uivei!

        Comentário por vipissima — 17 janeiro 2011 @ 23:29

    • Todo homem tem o direito ao arrependimento e ao perdão pelos erros cometidos. O fato dele ter se convertido à causa dos homens bons só o engrandece mais ainda.

      Comentário por Hariovaldo — 16 janeiro 2011 @ 18:45 | Responder

      • Apupos mil a vossa misericórdia para com essa pobre alma arrependida, ó magister.

        Apesar de crer eu que uma alma manchada pela devassidão bolchevique nunca chegará à plena luz na qual caminham os homens bons, com certeza este mancebo, se continuar a trilhar este caminho do bem, estará livre do fogo do inferno.

        Que Serapião, Bálaguer e Inácio (o de Loyola, não o Luís) o conduzam na fé.

        Comentário por Professor Temístocles Sabóia Filho (o bom) — 17 janeiro 2011 @ 14:05

    • Que tal este!

      Comentário por De Vaneio — 17 janeiro 2011 @ 22:33 | Responder

  4. Nossa. Até a velhinha da Praça da Alergia agora deu pra opinar? E continua entendendo tudo errado.

    Comentário por Che Guevara — 16 janeiro 2011 @ 17:22 | Responder

  5. Esse sujeito tem a mesma cara de caju que a minha sogra.

    Comentário por Leo Niberao — 16 janeiro 2011 @ 17:23 | Responder

    • De caju não, de cu.

      Comentário por Leo Niberao — 17 janeiro 2011 @ 16:03 | Responder

  6. azul
    era o gato
    azul
    era o galo
    azul
    o cavalo
    azul
    o cu
    do Zé Ribamar
    que prefere ser chamado
    de Ferreira Gullar

    Impressionante como o FG é capaz de falar merda, desde a época em que era de esquerda (e o Nelson Rodrigues o sacaneava, por tão parvo), até agora, quando resolveu ser “O Reacionário”. NR, se vivo fosse, permaneceria com mais motivos ainda para sacanear o Ferreira.

    Não bastasse ser feio pra caralho, o sujeito deu para falar merda com mais empáfia. Nem poesia de qualidade ele consegue fazer, como no passado.

    Comentário por Neno Baggo — 16 janeiro 2011 @ 17:29 | Responder

    • Caro senhor,

      percebo que vosso comentário está eivado de inveja e maldade. Saiba que vossos impropérios e pilhérias jamais denigrirão a imagem e a honra desse grande homem bom que é nosso poeta maior, Ferreira Gullar. Arrependei-vos.

      Comentário por Hariovaldo — 16 janeiro 2011 @ 18:43 | Responder

      • Recreativo Hopi Hari,

        Vossa insolência é uma reaça de quatro costados, mas pelo menos tem boa catadura. Vai dizer que você acha o Gullar bonitinho?

        E cá entre nós, essa gente é obcecada pelo Lula, né? O homem, ex-presidente, continua sendo alvo de virulenta artilharia.

        Como ensina a sabedoria popular, não se chuta cachorro morto. E Lula continua assombrando os piores pesadelos dessa corja mais que infame.

        Não perdem por esperar!

        Comentário por Neno Baggo — 16 janeiro 2011 @ 19:55

    • Indignado Baggo,

      Como ousas ir contra o Mestre Hari? Não vê que o jovem poeta apenas disse o que ele e todos nós que formamos os 4% mais cultos da sociedade já sabíamos há tempos?

      Ajudai-nos a propogar tais ideias, oh Baggo, e defenestrar a história ilusória desse líder tupininquim de araque como fez o jovem poeta!!

      Comentário por fontinatti — 16 janeiro 2011 @ 22:29 | Responder

      • Pro-pagar, pagar, ok?

        Comentário por fontinatti — 16 janeiro 2011 @ 22:30

    • Notório comunista puxa-saco do apedeuta mor.
      Vejo que o senhor é mais um desses analfabetos funcionais que chegaram a este tabernáculo cibernético montado num pau-de-arara lan house. Por acaso não notaste as grandes verdades ditas pelo poeta dos homens bons , seu vasto conhecimento em economia e outros assuntos de suma importância corroboram para que esta analise seja acurada.
      O tempo dirá que este senhor tem razão. Alvissaras!

      Comentário por T.Melo Rego — 17 janeiro 2011 @ 06:02 | Responder

  7. Ilustrissimo e letrad issimoProfessor Hariovaldo
    Com que alegria recebo, todos os domingos, os maravilhosos e divinamente inspirados textos desse poeta maranhense. O de hoje levou meu ser aos pincaros. Que lucidez, que entendimento, que capacidade inigualavel de narrar, com arte e clareza, o que de fato foi o governo, ou melhor, desgoverno, daquele que, por oito longuissimos e quase interminaveis anos, fez a nos, bons homens desse pais, experimentar sentimentos de repulsa e vergonha perante as classes mais evoluidas e capacitadas de todo o mundo. Passo a defender, a partir de tao profunda capacidade de expressar os sentimentos dos homens bons desse pais, que esse poeta maranhense, desconhecido injustamente no restante do mundo, tenha sua genialidade reconhecida com a indicacao para o premio Nobel de Literatura. Alvisseras. Agora vai …..

    Comentário por gouveiamenesesesilvainfelizmente — 16 janeiro 2011 @ 17:32 | Responder

  8. Parnasiano Mestre,

    Emocionado rabisco estas mal traçadas linhas. Estou a tremer, pernas a bambear.( mas sou macho, po!) Conheço o passado tenebroso do mancebo Fernandinho Gullar. É o milagre do tempo, é o poder da fé.

    Comentário por Tucano Fanático — 16 janeiro 2011 @ 17:40 | Responder

    • Desculpe-me por interromper o blá blá blá…. Mas se isto é o poder da fé e nos é ensinado que a fé move montanhas… Que tal uma montanha caia na cabeça deste fernandinho! Olha de fernandinho o povo ta cheio, dois já não foram suficientes? Porque aparece um terceiro????

      Comentário por Cachorrinho Pulguento — 17 janeiro 2011 @ 01:04 | Responder

      • Fernandinho???? O nome dele é Zé Ribamar (como todo maranhense). Vou indicá-lo ao Nobel de Literatura hoje.

        Comentário por Sílvio Stadtlander — 17 janeiro 2011 @ 11:54

      • Aparece porque tem de aparecer, cão ateu. Recuso a chama-lo de Ferreira. Muito menos Zé Ribamar. Nomes di póbri!

        Comentário por Tucano Fanático — 19 janeiro 2011 @ 19:21

    • É nada!
      Não é milagre, é só analogia. Como não tem a tanga do fernandinho ga-beira-mar, aproveita sua “fortuna crítica” (que vai acabar usando o “avesso aos estudos” como marco divisório acadêmico: FG antes e depois de Lula).
      O professor Hariovaldo, ao escolher essa crônica, certamente deixou-se levar pela crítica literária (rebordosa da convivência diuturna com ilustres), e não considerou o poder do analogista que declarou que “virou poeta para dar voz àqueles que não a têm”.

      Comentário por Dona Vivi — 17 janeiro 2011 @ 13:12 | Responder

  9. Algumas considerações: em primeiro lugar é impressinante a beleza dos homens e mulheres que dedicam à resistência ao governo lulo-dilmista-comuno-apedeuta. Creio que Adonis, ao nascimento já pergunta: quereis ser conivente com os comuna ou ser belo, como Dom Chirico, Dom Chuchu, Tia Rei, Kassaboff, entre outros ? Em segundo lugar, não posso deixar de mencionar a importância para a literatura nacional deste ilustre senhor, que se destaca de forma assombrosa, acima de tão pobre acervo modernista desta pátria ingrata. Com certeza obteve mais de 82% de aprovação na preferência de todos os estudantes.
    Em relação ao conteúdo de sua sábia explicação, que o faz de forma didática, nos resta a plerpexidade de constatarmos o óbvio : Lula não passou de uma “rainha da Inglaterra” e o Brasil não necessita de um poder Executivo permanente. Basta a cada 50 anos elegermos alguém como FHC para dar as diretrizes econômicas, por alguns meses e economizarmos todo o gasto supérfluo que é o processo eleitoral, o pagamento de Assembléia e manutenção de um presidente permanente e suas viagens. Tudo muito simples e funcional . Pensando melhor nem precisamos do legislativo e do judiciário, tercerizemos todo este staff e deixemos à cargo da isenta imprensa nacional . Amém.

    Comentário por Padre Iscariotes — 16 janeiro 2011 @ 18:15 | Responder

  10. Observador e detalhoso Profi Hari
    O senhor também percebeu elogios ao Lulinha nesta frase do Gullar:
    ¨Por isso acho que quem governou foi sua equipe técnica, não ele, que raramente parava em Brasília.¨

    Gostaria de emendar esse trecho incompleto do ex-poeta a uma outra frase:

    ¨Sendo humanamente impossivel uma só pessoa estar a conduzir tudo, então o maior mérito de um Presidente é saber escolher entre tantos, os mais capazes.¨ ( Frase D´Alguém )
    É aquilo que alguns psicologos sempre defendem: A adolescencia pode terminar aos 18 anos, ao 36 anos, aos 72anos em alguns casos nunca terminam.

    Comentário por Ana Cruzzeli — 16 janeiro 2011 @ 18:20 | Responder

    • “o maior mérito de um PRÍNCIPE”

      Comentário por José Vicente de Magalhães — 16 janeiro 2011 @ 19:50 | Responder

      • só pode ser o nosso PRÍNCIPE DOS SOCIOPATOLÓGICOS FHC.

        Comentário por Braquicéfalo — 17 janeiro 2011 @ 23:25

  11. Culturalíssimo Mestre Hariovaldo:
    Que bonitinho é esse homem bom. Já imaginou se ele morre, quanta falta faria, oremos pois pela vida desse senhor que se libertou das garras do comunismo e agora pontua lado a lado com o Bob Freire e o Bob Jeferson além de ombrear intelectalmente com o grande Indio da Costa.
    Eu já tentei ler as coisas que ele escreve mas a minha erudição só chega até Fernando Pessoa e ao Oitavo Poema, quando passa daí eu não entendo. Quem sabe numa próxima encarnação eu, que assisti ao André Luis, consiga atingir a fulgorância erudita do tal de ribamar gular. É ruin hein; esse cara sabe tudo de quem nunca lhe pagou um cafézinho e não sabe de nada de quem lhe paga um sanduiche de mortadela que é o único alimento do dia, ou ele é magro porque tem comida em casa? Tou cheio desses intectualoides penduretas que só visam uma meia-de-leite. Nem roubar sabem, mas aprederam a juntar letras e como não gostam de trabalhar, viram poetas.
    Vou votar nele para o prémio Nobel de Economia, para ele explicar como vive até hoje sem fazer nada. E mais não digo porque esse senhor quando nasceu a Mãe de Santo que fez de parteira confundiu-se e deu o tapinha na cara dele.

    Comentário por José Vicente de Magalhães — 16 janeiro 2011 @ 18:25 | Responder

    • Acho que não Vicentinho! Acho que jogaram o bebê fora e “criaram” a placenta!

      Saudações!

      Comentário por Irmão Metralha 176-167 — 17 janeiro 2011 @ 10:22 | Responder

      • Caro Irmão 176-167: Digo irmão porque também não tenho sorte com a desonestidade.
        Obrigado pelo adendo, que será útil quando alguém escrever a autobiogrfia desse ribamar daí
        Saudações metralhísticas.

        Comentário por José Vicente de Magalhães — 17 janeiro 2011 @ 18:27

    • Permita-me, lembrar-lhe do ‘POEMA PIAL’, uma obra capital do genial portuga.

      POEMA PIAL

      Toda a gente que tem as mãos frias
      Deve metê-las dentro das pias.
      Pia número UM
      Para quem mexe as orelhas em jejum.

      Pia número DOIS,
      Para quem bebe bifes de bois.

      Pia número TRÊS,
      Para quem espirra só meia vez.

      Pia número QUATRO,
      Para quem manda as ventas ao teatro.

      Pia número CINCO,
      Para quem come a chave do trinco.

      Pia número SEIS,
      Para quem se penteia com bolos-reis

      Pia número SETE,
      Para quem canta até que o telhado se derrete.

      Pia número OITO,
      Para quem parte nozes quando é afoito.

      Pia número NOVE,
      Para quem se parece com uma couve.

      Pia número DEZ,
      Para quem cola selos nas unhas dos pés.

      E, como as mãos já não estão frias,
      Tampa nas pias!

      Fernando Pessoa

      Comentário por Locco — 17 janeiro 2011 @ 11:33 | Responder

      • Esse Fernando aí é parente desse tal de Marcos Pessoa aí do Twitter?

        Comentário por Gilmar Motta — 17 janeiro 2011 @ 16:56

      • Senhor tolo, ou lá o que seja:
        Esse poema ou trote foi redigido com o intuito de ofender a Santa Madre Igreja C. A. R.. Portanto não deve ser apresentado aqui neste sítio porque sabemos que o nosso Supremo Mestre se confessa todos os dias em Guarulhos. O nosso Santo Bispo também avalia este site, então não devemos colocar aqui obras mefistofélicas, porque se o Santo Bergonzini colocar isto no Index Proibitorum o nosso Professor perde 98% dos companheiros. Só ficam o cachorro e o Che que também é um cachorro motoqueiro do além, além da fuxiqueira.

        Comentário por aniballe — 17 janeiro 2011 @ 18:45

  12. Um detalhe parece ter passado desapercebido do Professor e dos nobres colegas;
    mas que belo varão. um verdadeiro Apolo. Certamente a virtude e a sabedoria que ele cultivou ao longo da vida se materializaram neste rosto equilibrado e belo. E o seu porte atlético certamente lhe garantirá um brilhante futuro como galã das novelas brasileiras. Certamente as mulheres brasileiras nunca mais votarão em comunista vermelhinho ao saberem que o seu principal sex-symbol os repudia como a vermes.
    obrigado,Professor, por este texto luminoso e bom.

    Comentário por alexandre — 16 janeiro 2011 @ 18:36 | Responder

  13. […] This post was mentioned on Twitter by Ari Silveira. Ari Silveira said: RT @marcospessoa10: Professor Hariovaldo: Grande analogista brasileiro disseca ex-presidente parvo e apedeuta. http://t.co/6i1aUFj […]

    Pingback por Tweets that mention Grande analogista brasileiro disseca ex-presidente parvo e apedeuta « Professor Hariovaldo Almeida Prado -- Topsy.com — 16 janeiro 2011 @ 18:39 | Responder

  14. Aritmético Mestre,

    satisfiz-me com o título: “Quando dois e dois são quatro”.
    Que precisão! Que poder de síntese!

    Só os grandes gênios, os baluartes analgistas conseguem dizer tudo com tão poucas palavras. E dizer bem, com perfeição.

    Deleitou-me o título. Nem precisei percorrer o texto, temeroso de ver esvair-se o poder da síntese nele contida.

    Alvíssaras, mil vezes alvíssaras!

    Comentário por SáeBenevides — 16 janeiro 2011 @ 18:39 | Responder

  15. Ué, mas o governo Lula foi tão bom . . .
    E, perdoem-me, é dificil confiar em alguém com cara de “troll”.

    Acho que tem um “que” de inveja . . .

    Mais uma das cassandras botocudas e arrependidas, desconfio dele.

    Comentário por Fabrício Poliana — 16 janeiro 2011 @ 19:05 | Responder

  16. Tietosíssimo Prof.Hariovaldo
    Quem não se renderá a beleza desta culta e definitiva análise da gestão apedeuta, tão gravosa à Pátria e
    aos homens bons, elaborada pelo magnífico e esfingético irmão Ferradura Goullar? QUEM? QUEM? Quem?!!!!
    Finalmente acordamos perplexos, apavorados e deprimidos deste pesadêlo que parecia não ter fim. Foram oito
    anos de sub vida nas regiões umbralinas e infernais que contituiu este desgoverno trevoso,onde não havia
    nenhuma esperança de dias melhores. Ferradura, onde estavas todo este tempo que não nos socorrestes com
    vossa lucidez, nos privando de toda a vossa generosidade intectual? ONDE? ONDE? e ONDE?!!!
    Aquí Geralda! Depois de Médice e Cardaloso o País não mais nessecitou de governo. Esta que é a Verdade!
    Eu desafio qualquer comunista que por acaso vier a ler estas linhas,que indique uma única medida útil
    que aquele apreciador de cachaça com cambuci tomou. Tomou sim, más muita cachaça com cambuci…lá no
    buteco do frango com polenta em São Bernardo, onde o PT foi fundado.

    Comentário por Von Kasca — 16 janeiro 2011 @ 19:40 | Responder

  17. Caríssimos Professor Hari e amigos cibernéticos, cá estava a pensar, na minha pequena propriedade em Jurerê Internacional, o que fazer, pois são Pedro hoje deu o ar de sua graça. Quando recebi esse magnífico e-mail, estou aos prantos. Nem os arautos do “jornalismo” piguiano conseguiram descrever com tanta clareza esse período nefasto a ser apagado da nossa história, ou melhor, como alguém já disse, a história do BraZil deveria ser recontada AL (antes do nefasto) e DL (depois do nefasto apedeuta nonadactilo), porém, esse poeta, FG, cuja obra literária envergonha de Camões a Jorge Luiz Borges, deveria ser escolhido por nós, homens de benz, como o analogista histórico. Poderia eu, na minha humilde simplicidade, sugerir o título da “obra”: AL X DL = “Quando dois mais dois são quatro”.
    PS: para os que leram e que como eu ficaram embriagados, sugiro acessarem o e-mail de um amigo e solicitar uma obra não tão boa quanto essa do FG, mas que pode nos reconfortar em tempos nublados: amrrhc@yahoo.com.br

    Comentário por Rubro, mas de vergonha! — 16 janeiro 2011 @ 20:01 | Responder

  18. Louvado mestre e prestimosos discípulos, sabeis algum de vós como “parabenizar” o grande “pensador e poeta”? Como fazermos chegar a tão venerada figura as nossas “homenagens”??

    Comentário por Pedro — 16 janeiro 2011 @ 20:31 | Responder

    • Proponho um banco na frente da cracolândia. Tudo em platina, que realçará sua bela cabeleira chanell. Kassabinho fará as honras de estourar champã em tal belle tete.

      Comentário por vipissima — 17 janeiro 2011 @ 23:45 | Responder

  19. Letrado e Amodernado Lider Supremo Prof. Hariovaldo,

    De que planeta veio este ser flagrado na fotografia?
    Por acaso a atmosfera de seu (dele) planeta é “tóchica”?
    Intelectualóide tem a ver com alcalóide?
    De onde sairam tantos impropérios delirantes?
    Dor de cotovelo é um sentimento percebido e compartilhado por esses alieníginas?

    Cada uma!!!

    Comentário por Don Rodrigon de Compostela — 16 janeiro 2011 @ 21:09 | Responder

  20. Amado Mestre
    Depois de ler esse grande libelo que não faria feio frente à qualquer grande obra do genero eu senti a obrigação de lhe agradecer por impedir que eu viesse um dia a morrer sem saber o que esse cara tinha pra dizer.
    Obrigado

    Comentário por Dom Paulo Rolha — 16 janeiro 2011 @ 21:10 | Responder

  21. Depois de ler este libelo Literático encontro-me em verdadeiro êxtase osgarmático.

    Esta jovem criatura (que me lembra muito o Gandalf, do Senhor dos Anéis) de fato tem um futuro brilhante. Como escreve bem este moço.

    Só não entendi muito sua inclinação ficcionista. Quero que ele me mostre um, apenas um, homem bom que considera o batráquio barbudo de nove unhas um grande estadista.

    Comentário por Marquês DO Pombal — 16 janeiro 2011 @ 21:11 | Responder

    • O êxtase foi tanto que acabei escrevendo errado. Obviamente é orgasmático. E depois que li novamente, tornou-se múltiplo…

      Comentário por Marquês DO Pombal — 17 janeiro 2011 @ 00:57 | Responder

  22. E tem gente que ainda perde tempo com esse tio sutil…
    Só a Falha de SP poderia ter um “comentarista” como esse coisa. Ou a Óia.

    Comentário por H ROMEU PINTO — 16 janeiro 2011 @ 21:21 | Responder

  23. De onde saiu essa coisa nojenta?! SAI CÃO SARNENTO TÁ NA HORA DA JANTA!

    Comentário por são tomé — 16 janeiro 2011 @ 21:37 | Responder

    • PROTESTO!
      Chamar esta figura de cão sarnento é uma tremenda ofensa!
      Para os cães sarnentos, pulguentos e afins.

      Comentário por Cachorrinho Pulguento — 17 janeiro 2011 @ 02:25 | Responder

  24. O que é que este Senhor misturou no texto dele???

    Vamos acompanhar a análise de um especialista:

    Comentário por Guerreiro Lunar — 16 janeiro 2011 @ 22:29 | Responder

    • Que analise clara e cristalina. Se alguem souber oque eles misturam me avisem , quero distribuir esta substancia para meus serviçais e melhorar seus desempenhos na lavoura de cana.

      Comentário por T.Melo Rego — 17 janeiro 2011 @ 06:15 | Responder

  25. Sapientíssimo líder e iluminado mestre Hariovaldo, acredito que desde que me alfabetizei e li (não apenas ouvi) “Atirei o pau no gato tô” eu não via uma produção intelectual dessa magnitude. Acredito que poucas pessoas no mundo são capazes de um esforço tão grande para, a partir de um dado completamente isolado como a irrefutável e verossímel popularidade do ilustre brasileiro e general Médici, escrever tantas verdades e trazer luz ao povo ignorante e motorizado do nosso país. FG mostra que não é apenas um corpinho e um rostinho bonito. Ele tem conteúdo. Rejubilemo-nos por termos entre nós tão letrado e humilde homem com seu marcante altruísmo. FG não uqer o conhecimento só para si mesmo, ele divide o que tem de melhor com povo ignóbil.
    Javier Megustaxota Condestável de Salamanca, Leon e Castela

    Comentário por Javier Megustaxota — 16 janeiro 2011 @ 22:59 | Responder

    • Prezado Condestavel Javier,alvísseras.
      Neste texto vossa intenção foi escrever a palavra “marcante” ou “mercante”? Por favor esclareça, pois estou em dúvida…

      Comentário por Augustus — 31 janeiro 2011 @ 22:19 | Responder

  26. Honorável Mestre,

    Certamente marimbondos de fogo picaram tanto o jovem poeta que ele precisa se apresentar com seu lado avesso. Ainda bem que tal ataque não prejudicou seu admirável cérebro.

    Que São Serapião proteja os poetas que pouco poetam mas muito tentam politicar. Talvez renda mais.

    Comentário por Edemar Motta — 16 janeiro 2011 @ 23:31 | Responder

  27. UAI este Ferreira Gullar não era do PCB? O PARTIDÃO? O PECEBÃO?
    Como ele virou homem bom ou homi bão?
    Vocês acreditam nestas conversões milagrosas?
    Professor Doutor Hariovaldo conta o milagre mas não conta o none do santo autor deste tremendo prodígio!

    Comentário por Tiago Silva — 16 janeiro 2011 @ 23:34 | Responder

    • QUAL é o nome do santo milagreiro,diga Professor doutor Hariovaldo!

      Comentário por Tiago Silva — 16 janeiro 2011 @ 23:37 | Responder

  28. Magnânimo Magister dos Magisters Prof. Hariovaldo.
    Quão feliz fiquei ao retornar a este repositório de sapiência (repositório, não supositório – que é o local onde se depositam as suposições) e me deparar com uma das mais límpidas e cristalinas análises do que foram os oito anos de desgoverno do Nove Unhas!
    Este rapaz, o tal Ferreira Gullar, merece estar ao lado dos grandes nomes da literatura nacional e mundial somente por este escrito. E o merecimento é maior pelo mesmo ter se convertido à senda dos Homens Bons, pois consta que já foi tão rubro quanto a camisa do Internacional de Porto Alegre (terra do saudoso Prates…).
    Enfim Magister, acrescentar mais o que a esta bela análise?
    NADA!
    Alvíssaras! Devemos fazer um abaixo-assinado e enviar ao governador Picolé para que os préstimos do Gullar sejam aproveitados no governo bandeirante.

    Comentário por D. Sebastião — 16 janeiro 2011 @ 23:48 | Responder

  29. Mestre dos mestres: esse ex-comunista (será que há ex-comunista?) comete um erro tremendo ao mencionar nosso impoluto e futebolístico Presidente Médici, o eterno: ele não teve 82% de aprovação no seu mandato. Se não me falha a memória o DataDoiCodi, preciso, correto e fidedigno antecessor do nosso DataPrado, apontou 104,3% de aprovação ao fim seu governo, especialmente com as exatas coletas de votos em certa dependência oficial próxima ao Maracanã no Rio de Janeiro e na sede de um jornal que mudou de nome em São Paulo (era alguma coisa da manha ou manhã e virou Falha de não sei o que)e que apoiava o governo democrático a tal ponto que seus veículos de entrega de exemplares foram colocados à disposição das obras sociais da dita, digo, da branda, digo, da, a sei lá o que… Esse sujeito deveria ser colocado no pau de arara para aprender a usar corretamente os dados da Estatística Oficial do democrático governmo militar de Sui Excelência o General de Exército Emílio Garrastazu Medici que cumpriu rigorosamente o mandato para o qual foi eleito pelos quatro eleitores homens verdes, azuis, brancos e bons que nos representavam à época, respectivamente os srs. Ministros da Guerra; da Aeronáutica e da Marinha, além do Excelentissimo Senhor Chefe do Estado Maior daas Forças Armadas a quem delegamos todo o poder da Redentora em 1964. Por isso, meu mais veemente protesto contra esse erro irreparável de comparação com o molusco comunochavista.

    Comentário por Comendador Phyntias da Silva — 17 janeiro 2011 @ 00:22 | Responder

  30. Como assim, “também obteve 82%”? Lula, com a maior parte da imprensa em contrário sem AI 5, teve 87%! E de quem são esses dados de 82% do Médici? De qual parte da imprensa sob AI 5 e censura???
    O jornalismo de Ferreira Gullar é, no mínimo, um tanto infiel aos fatos. Porém, é absurdo, por causa disso, atacar sua poesia: qual poeta brasileiro publicou em 2010 um livro melhor do que “Em alguma parte alguma”?

    Comentário por Pádua Fernandes — 17 janeiro 2011 @ 00:33 | Responder

    • Caro Fabrício Pádua:
      Como somos tolerantes (aprendemos com nosso escriba Prates, injustamente demitido da RBS) com aqueles que ignoram a filosofia hariovaldiana, tratar-lhe-ei como a um visitante que, por engano, veio a este papiro eletrônico.
      Como também somos muito religiosos (temos São Serapião, e São Escrivá de Baláguer como nossos protetores), e Pádua é a localidade de Santo Antonio, terás o benefício da dúvida.
      Filho, não entendeis que não podemos duvidar do percentual de aceitação do glorioso General Médici citado pelo escriba Goullart? Não entendeis que a redentora teve amplo apoio entre a choldra auriverde? Por acaso não cantastes os hinos (da Nacional, da Independência, do Exército, Marinha e Aeronáutica, entre outros tantos) todos os dias na escola nos gloriosos anos do Regime Verde-Oliva???? Não havia opositores porque não havia como se opor a tão glorioso regime! Houve, sim, uma meia dúzia de baderneiros que assaltaram um bancos, fizeram uns sequestros e brincaram de “Jim das Selvas” no Araguaia, mas isto era exceção.
      Enfim, leias os comentários dos homens bons e de benz deste sítio eletrônico e entederás a razão de estarmos aqui.
      Alvíssaras! Mais um Fabrício à solta!!!

      Comentário por D. Sebastião — 17 janeiro 2011 @ 01:49 | Responder

      • Nobre D. Sebastião,

        Acho que o tempo da complacência, do perdão e do benefício da dúvida já passou. Devemos dar um tratamento de choque aos desavisados que por aqui aportam. Sugiro criarmos um programa intensivo de treinamento.

        Posso propor até as cadeiras:

        Interpretação dinâmica de textos – Prof. Uncle King
        História do jornalismo moderno. Práticas cotidianas a partir de 1964 – Prof. Boris Casoy
        Jornalismo ficcional – Diogo Mainardi
        Cidadania e legislação I – Prof. Prates
        Metereologia. Estudo dos ventos para a definição de linhas editoriais – Prof. Josias de Souza

        Acho que seria o maior sucesso…

        Comentário por Marquês DO Pombal — 17 janeiro 2011 @ 13:32

    • Meu caro;
      Esse 82% do Medici foram obtidos em um referendo onde se votava sim e não a saber:
      SIM=Sou a favor
      Não=Não sou contra

      Comentário por Dom Paulo Rolha — 17 janeiro 2011 @ 15:12 | Responder

  31. ♫ Sempre antenado nos boatos que a escumalha rubra coloca em circulação, captei um afirmando que esta figura seria a avó carnal do proativo jornalista de programa Augusto Nunes. Observando fotos de ambos com minha lupa – idêntica àquela do grande Maxwell “Max” Smart – notei a semelhança de certos traços fisionômicos. Haveria algum fundamento no boato? Como sabem os especialistas em agitprop, os melhores boatos têm sempre um fundo de verdade ou, no mínimo, grande verossimilhança. Cumpre desmascarar este, para que a grei dos homens de Benz não seja chamuscada… ☺☺☺

    Comentário por Jimmy Cricket™ - Guarujá — 17 janeiro 2011 @ 01:15 | Responder

    • Vamos observar se
      o suposto neto baba quando fala.

      Comentário por Arbusto Delgado de Azevinho — 17 janeiro 2011 @ 04:17 | Responder

  32. É por essa e por outras que tenho sempre em minhas orações São Sérgio Paranhos Fleury e São Ferreira Gullar, sem esquecer de São Roberto Freire e São Menghele.

    Comentário por emerson — 17 janeiro 2011 @ 02:26 | Responder

  33. Mestre, Bom dia!

    Com esta aparência o rapaz tem futuro? Só se for na cidade dos pés juntos” Eu acho que o faraó RAMSES II abandonou o blog mas se esqueceu uma múmia serviçal por aqui…

    Comentário por Cachorrinho Pulguento — 17 janeiro 2011 @ 02:42 | Responder

  34. Mestre, bom dia!
    Olha eu aqui de novo! Me esqueci de acrescentar algo no comentario anterior.

    Como se fazia uma pesquisa no tempo de médici? Perguntava-se: Você aprova o governo Mérdici? Não? Prende este sujeito e vamos dar um corretivo nele!…
    Resultado: 82% aprovam o governo; 18% estão mortos, feridos ou desaparecidos.

    Comentário por Cachorrinho Pulguento — 17 janeiro 2011 @ 02:45 | Responder

    • Vil saco de pulgas comunista.
      Não sabes tú que as pesquisas que dão ao vil molusco 87°/° de aprovação foram compradas com o ouro de Caracas , fosse no tempo dos homens bons , este apedeuta mor já estaria expatriado do país e do convívio dos homens bons.

      Comentário por T.Melo Rego — 17 janeiro 2011 @ 06:45 | Responder

    • Haahahahahahha!Essa foi muito boa!

      Comentário por Herotildes Maria — 17 janeiro 2011 @ 08:55 | Responder

    • Muito bom! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Comentário por Rita Almeida — 17 janeiro 2011 @ 10:11 | Responder

    • Lava essa tua língua canídea com shampoo antipulgas antes de falar de um dos grandes homens públicos que este país já teve, seu arremedo de vira-latas. Emilinho é um exemplo de governante democrático. E a maior prova é justamente a realização da pesquisa, onde todos tiveram o direito de testemunhar o quanto apreciavam sua administração.

      Quem subiu de vida mesmo foram estes comunistas safados que responderam a pesquisa sobre o invertebrado de nove tentáculos. Excelente rendia ao entrevistado 5 mil. Ótimo ou bom, 2 mil. Regular uma coxinha com suco de ameba na rodoviária mais próxima. Tudo financiado com os petrodólares do Leviatã de Caracas, como já colocou nosso querido Confrade T.Melo Rego.

      Resume-te a tua insignificância e presenteie-nos com sua ausência. Ou então alguém vai chamar a carrocinha…

      Comentário por Marquês DO Pombal — 17 janeiro 2011 @ 13:15 | Responder

  35. Texticuloso Mestre dos bons e das “boas” deste país Prô Hari.
    Mais uma vez o senhor trabalhou como um arqueólogo e desenterrou do diário dos homens bons mais uma pérola , um libelo limpido e cristalino que explica a maior verdade de todas: Que o sapão barbudo não governou este país. Precisamos propagar estas tão sábias palavras entre a patuléia que obnublinada pelos 8 anos de desgoverno do vil molusco elegeu seu poste para o trono do mais preparado dos brasileiros , convidando Boris Casói ou Cid Moreira para ditar o texto e coloca-lo nos elevadores dos Shoppings como música de fundo , quem sabe a choldra tomando conhecimento disto abra os olhos e veja a tragédia que foi e será mais 8 anos de desgoverno petelho.Eu de minha parte já mandei imprimir um livreto contendo as frases mais poéticas dos colonistas mais esclarecidos do país e todas as manhãs antes de astear a bandeira nacional ( a verdadeira , a que contem 50 estrelas), incentivo meus serviçais a lerem em vóz alta e repetir como um mantra estas sábias verdades.
    Agóra recolher-me ei aos meus aposentos e pedirei a minha assistente Glórinha “boca de veludo” que recite as sábias palavras de FG enquanto me vergasto com minha disciplina.
    Obs: Temos que indicar este inclito varão , um verdadeiro “sabe-tudo” , ao prêmio Nóbel de literatura e claro , nosso presidente de carteirinha ao prêmio de economia. Alvissaras!

    Comentário por T.Melo Rego — 17 janeiro 2011 @ 06:42 | Responder

  36. Caro Prof. hari como pode um ficcionista desse nível ter ganho apenas um jabuti enquanto o Chico devolve o jabuti Buarque ganhou três. Devia-mos assinar o abaixo assinado do uncle king e pedir ao Chico, devolver todos os 3 Jabutis ao grande Fg.

    Comentário por Dimas — 17 janeiro 2011 @ 08:35 | Responder

  37. É por isso que sempre me senti feliz ouvindo no ônibus as conversas políticas dos peões de obra aos ilustres discursos dos mestres e doutores universitários!!!!

    Sabedoria não vem em diploma! E, de tanto pensar, Sr. FG, morreu um burro!

    Comentário por Joao — 17 janeiro 2011 @ 09:34 | Responder

  38. Professoe, perdoe minha ignorância mas, estou em dúvida, seria analogista ou analista?

    Comentário por Luladilmistarretado — 17 janeiro 2011 @ 10:32 | Responder

    • Esse não nasceu em Bagé. O poeta dos homens bons é maranhense.

      Comentário por fontinatti — 17 janeiro 2011 @ 10:45 | Responder

    • Ó seguidor do Apedeuta,

      o analista faz análises, já o analogista faz analogias, como fez o jovem poeta no textículo supra citado.

      Comentário por Gilmar Motta — 17 janeiro 2011 @ 17:08 | Responder

  39. Sumo Eleitor Hari,

    Lembro como se fosse hoje. O Sr. General Presidente e futebolístico Garrastazú Mede-se indo de encontro ao povão em comícios memoráveis. Do Oiapoque ao Chui. Dava gosto ver os marqueteiros (que não tinham muito trabalho não, a exemplo da beleza do FG o Sr emílio tinha uma estampa tão bonita quanto)com músicas maravilhosas (Eu te amo meu brazil….eu te amo, ninguém segura a juventude do…. E os debates então…Era ele se olhando no espelho e debatendo…com ele mesmo, show… pensam que os entrevistadores era esse modelo de candura do casal Bonner….não…era o terrível e sinistr…digo, competente Flávio Cavalcante, o Senor Abravanel e o pessoal dos Diários e Emissoras Associados…quanta saudade!!!!!O bom é que o Ferreira e sua thiurma do Leblon, Ipanema e adjacências faziam e escreviam sobre a democracia militar fumando umas folhas de alface amanhecidas, mas com conteúdo.

    Comentário por Francisco A. Lisboa — 17 janeiro 2011 @ 10:52 | Responder

  40. Caro Hari
    Sugiro que o Ministro da Educação, colocasse o nome nas mais de 200 mil escolas do Brasil, o nome unico de Ferreira Gullar.
    Assim seria “recuperado” o lado sapiente da direita Ordem e Progresso.

    Comentário por Avelino — 17 janeiro 2011 @ 10:52 | Responder

  41. Ah sim! Gullar foi mesmo “jenial” em sua análise: O governo Médici terminou com 82% de aprovação. Além disso 5% dos pesquisados sofreram de morte súbita no momento em que respondiam a pesquisa, 8% foram presos por motivos que desconhecemos e por isso não puderam responde-las e os demais 7% desapareceram misteriosamente.

    http://ritadecassiadeaalmeida.blogspot.com/

    Comentário por Rita Almeida — 17 janeiro 2011 @ 11:42 | Responder

    • Estimada senhora Rita: A nobra varoa insiste nesses míseros 82% de avaliação positiva do governo do General Médici, mas o Comendador Ohyntias afirmou acima e posso comprovar pelas anotações em meu bloco de notas da pesquisa que acompanhei com o Major Bigorna de Aço que comigo a realizou nas duas ruas nobres – a Conde de Bonfim (que nome de localidade apropriado para os fins do nosso saudoso DOI) no Rio e Barão de Limeira, em São Paulo do querido Otavinho – e uma rua plebéia, a Rua Tutóia, que foram exatos 104,3% de votos. 17 deles não puderam ser anotados de próprio punho uma vez que os votantes se encontravam na prática diária de sua ginástica dependurados na barra horizontal. E mais, nenhum morto votou nessa livre e democrática pesquisa. Só os que aind…, quero dizer, só os vivos. O único local no País onde não foi possível se obter tal número foi na região do Araguaia, à época tomada por enchente fora de época.

      Comentário por Emerenciano Tranca Rua - Capitão R2 — 17 janeiro 2011 @ 15:59 | Responder

      • Muito grata pelas retificações, prezado Sr Emerenciano.

        Comentário por Rita Almeida — 17 janeiro 2011 @ 20:56

  42. FG: Poemas Neoconcretos I

    “mar azul
    mar azul marco azul
    mar azul marco azul barco azul
    mar azul marco azul barco azul arco azul
    mar azul marco azul barco azul arco azul ar azul”

    Entenderam agora ???

    Comentário por Padre Iscariotes — 17 janeiro 2011 @ 11:59 | Responder

    • Sua benção, padre! tinha uma pedra no meio do caminho no meio do caminho tinha uma pedra que supostamente estava no caminho que não era o meu caminho mas a pedra estava no caminho do apedeuta que a jogou na cabeça do chiriquinho e acabou.

      Comentário por vipissima — 18 janeiro 2011 @ 18:15 | Responder

  43. Tudo bem. Vamos tentar de novo :
    Poemas Neoconcretos II

    verde verde verde
    verde verde verde
    verde verde verde
    verde verde verde erva

    Comentário por Padre Iscariotes — 17 janeiro 2011 @ 12:00 | Responder

    • Poemas Neoconcretados lll (por Pe. Isca)

      vermelho vermelho do azul surrupiador
      vermelho vermelho no verde enganador
      vermelho vermelho do sapo pentelho
      verme vermelho que o velho gullar
      verme e desgostoso vai ter que aturar

      Comentário por Padre Iscariotes — 17 janeiro 2011 @ 12:50 | Responder

      • Revenrendissimo: o seu vinho é da antiga URSS ou o senhor andou fumando erva estragada?

        Comentário por Mikail Bordunov — 17 janeiro 2011 @ 16:02

      • Prezado Bordunov, com certeza não era um bordeaux. Mas creio que a hóstia que estava batizada, também veja quem era o padre :

        Comentário por Padre Iscariotes — 17 janeiro 2011 @ 17:11

  44. Baita home bão.
    Já não nasce igual.

    Comentário por Juba — 17 janeiro 2011 @ 12:10 | Responder

  45. Eu gostaria que esse jovem e audaz Gullar, fosse tomar no meio do olho do orifício rugoso localizado na região infero-lombar de sua anatomia já que seu artigo inflou o volume da minha bolsa escrotal!

    Comentário por Américo Camargo — 17 janeiro 2011 @ 12:16 | Responder

  46. Zé Ribamar era menino pequeno
    Um Ferreira sonhava grande.
    Quando confessou credo marquexista
    Comunistas mundanos reunidos
    Deliberaram promove-lo poeta.
    Oráculo destinado a ser dos deuses
    Atirado nessa função Gullar desregula
    Dogmático, dá-se a palpitar
    Prega Parmênides revolucionário
    Denuncia Lula salafrário.
    Agora, arauto do nada
    Sob os escombros do muro
    Quem lhe paga a porra do salário?

    Comentário por Juca Ganso — 17 janeiro 2011 @ 12:18 | Responder

    • É isso aí, esse cara faz tudo por um um café pingado. É pobre e não só de juízo.

      Comentário por José Vicente de Magalhães — 17 janeiro 2011 @ 13:18 | Responder

  47. Os mortos

    os mortos vêem o mundo
    pelos olhos dos vivos

    eventualmente ouvem,
    com nossos ouvidos,
    certas sinfonias
    algum bater de portas,
    ventanias

    Ausentes
    de corpo e alma
    misturam o seu ao nosso riso
    se de fato
    quando vivos
    acharam a mesma graça

    Comentário por Sílvio Stadtlander — 17 janeiro 2011 @ 12:35 | Responder

  48. Comentários dos leitores:

    “acho tudo isto muito liindo” – Caetano
    “grande ser humano tanto no pessoal como no profissional” – Fausto
    “tá bonitinho na foto” – Jô
    “você está morto” – Elísias de Nosso Lar.

    Comentário por Padre Iscariotes — 17 janeiro 2011 @ 13:06 | Responder

    • Prelado e inspirado poeta concreto,
      beijo no coração…

      Comentário por Dona Vivi — 17 janeiro 2011 @ 13:33 | Responder

  49. Já ouviram falar em derretimento do cérebro?
    Não é engraçado, é triste.

    É claro, me refiro aos 85% da população brasileira, que sofre de Alzheimer precoce, e só por isso é que não percebe o estrago que foi feito no país nos últimos oito anos.
    Também me desapontei com o fato de este lúcido intelectual ceder à chantagem e ao autoritarismo da imprensa vermelha vendida, e afirmar que houve avanços! Estamos à beira do precipício, nem em 500 anos conseguiremos apagar as marcas indeléveis desta ditadura bolchevista.

    Comentário por Eulália — 17 janeiro 2011 @ 14:00 | Responder

    • Senhores, estamos nos transformando numa confraria de fabrícios.
      Pelo andar da carruagem estaremos, segundo cálculos avançados, superados em número ao final de dois meses.
      Urge uma solução drástica para que se impeça o total colapso do sítio eletrônico.
      Vejam por exemplo esta sra. Eulália, uma fabrícia pronta e acabada. Imaginem-na em sua cabelereira comentando a existência do sítio com suas amigas de mesmo QI…
      Teremos em breve que clamar pela nobre Mayara para afogar os fabrícios, sob pena de encararmos uma desgraça, senhores. A nossa desgraça!

      Comentário por Senador Caldas Marombão — 17 janeiro 2011 @ 14:52 | Responder

      • Doce Senador Marombão,

        Tendes razão. Mayara Peluso já.

        Que São Serapião esteja convosco.

        Comentário por Don Joze de Pan y Agua (I) — 17 janeiro 2011 @ 15:06

    • Permita-me, nobre Eulália, subscrever ipsis literis o seu brilhante e corajoso comentário.

      Somente uma pessoa bela por dentro e por fora teria condições de se expressar com tão grande talento.

      Desde que a Baronesa de Torquemada fugiu com o seu professor de tenis Ricardo, o lugar está vago e eu estou sofrendo de atroz solidão.

      Sinto que você, Eulália, se estiver descompromissada, tem todas as credenciais para ocupar o posto.

      No seu caso querer é poder. Espero que queira me tornar o mais feliz dos mortais. Alvíssaras!

      Comentário por Barão de Torquemada — 17 janeiro 2011 @ 19:15 | Responder

  50. PERFUNCTÓRIO E ANALISADOR MESTRE PROFESSOR HARIPRADO

    Saudações Mestre! Merecida homenagem a este homem bom; esse grandessíssimo filho da….pátria. Falam que ele era comunista. Pois é, ex-comunista é pior que ex-fumante, que não podem sentir nem cheiro de cigarro de chocolate. Não, não são chatos, mas tornam-se mais radicais quando são doutrinados pela filosofia contrária.

    Lembro de Tim, o Maia. Primeiro entrou para uma seita, verdade universal, ou qualquer coisa assim. Só se vestia de branco e passou a gravar músicas “espirituais” que representaram a pior fase de sua brilhante carreira de compositor de música “black”. Quando se “curou” enfiou o pé no balde. Noitadas, bebedeiras, drogas, mulheres e voltou a ser o velho Tim que conhecemos.

    Vejam outro exemplo. O ex-comunista Aldo Rebelo, hoje até elogiado por Zé Reinardo de doscorgo. Criou um código florestal que é a cara do movimento ruralista da nossa Kátia do Breu!

    Até Mirian, a Leitão, andou dizendo que esse código irá trazer mais desgraças no futuro, já que autoriza, inclusive, ocupações nos topos de morros! Zé Reinardo, ético como sempre e solidário com a profissão, desceu a lenha na jornalista e abriu sua caixa de comentários para seus leitores “tecerem elogios” à Dama do Café da Manhã da Globo. É isso, ética jornalista é com ele mesmo!

    Saudações!

    Comentário por Padre Quevedo — 17 janeiro 2011 @ 15:12 | Responder

  51. Nobres, respeitosos, endinheirados autoridades eclesiásticas, militares e civis.

    Li que vários correligionários estão preocupados com os rumos que os comentários neste “sanctus loco” estão a fabriciar, desvirtuando os nossos altíssimo$ ideai$ democrático$ e patriótico$
    Por certo não se esqueceram do mais digno instituto de correção já havido nestas terras tupiniquins, homenageando com muita propriedade um dos citados no texto do ínclito e isento poeta Ferreira Gulag, ops, Gullar. Pra quem é neófito por aqui, recomendo a leitura de posts anteriores onde o grande CAGAMEDO (Casa Garrastazu Médice de Doutrinação) é citado e já foi inclusive louvado por alguns de nós, homens bons e mulheres boas.
    Volto a lembrar que poderemos usar as veraneiros do diário dos homens bons para conduzir a choldra fabícia desavergonhada e ensinar-lhes o que é bom pra tosse e pra comentários desairosos.
    Que São Josemaría de Escrivá e São Josef Goebbels nos iluminem e nos orientem em mais essa cruzada.
    Alvíssaras

    Comentário por Heloísa de Saint Hilaire — 17 janeiro 2011 @ 15:26 | Responder

    • Tsc tsc tsc…

      Comentário por Pakatatu — 20 janeiro 2011 @ 01:09 | Responder

  52. Prazer inenarrável ler os substantivos, adjetivos e verbos deste magnânimo blog! Comentaristas de alto nível, ampla visão, know-how e consciência do que tem valor nesse país de analfabetos.
    Depois de Prates, nosso admirável e consciente homem bom, vemos esse nobre poeta destilar sua sabedoria em análise de richesse “líder que nunca leu um livro” – comentário de alto garbo, ausente de preconceitos – esse molusco insiste em se vitimizar diante de nossa mídia imparcial! Contra a verdade não há léxico que sobrepuje!

    Alvíssaras!!!

    Comentário por Channel & Dior — 17 janeiro 2011 @ 16:07 | Responder

  53. Minha tia Carmela leu isso e perguntou: esse velhinho não é aquele que fazia umas poesias cheias de palavrão que ninguém entendia? Eu disse que sim, e que ele tinha sido do PCB. Aí ela comentou: “Ah! Ele era da turma do tal Roberto Freire? Essa gente nunca me enganou… Nunca vi um desses comunistas que foram pro PSDB gostar do PT, nem de dar poder a operário…”

    Comentário por Tia Carmela — 17 janeiro 2011 @ 16:22 | Responder

  54. Sem dúvida um texto poético que confirma a precisão cirúrgica com que Fernando, o sociólogo, fala, com sabedoria e modestia, sobre a inercia da rija economia erguida sobre os escombros do caos, e que só agora começa a florescer, e que se prolongará, também para o resto do mundo, nos próximos 30 ou 40 anos. Argumentação sobre adjetivos opinativos definitivos, simplesmente devastador!!

    Mas o melhor do texto é viver(e vender) as custas do seu inimigo.

    Marechal Luis da Lima e Silva

    Comentário por Marechal Luis da Lima e Silva — 17 janeiro 2011 @ 17:26 | Responder

  55. Confesso que se eu fosse homossexual, me casaria com esse homem!

    Além de muitíssimo inteligente e branco, é elegante e ferino nas palavras!

    Mas deixe estar: estou treinando meu filho para ser homossexual, pois a Veja mandou, e ele se casará ainda com esse coroa boa pinta!

    Alvíssaras!!

    Comentário por Homem Branco de Bem — 17 janeiro 2011 @ 18:26 | Responder

  56. Este Ferreira Gullar é o tipo de pessoa que tem que cagar amarrado. Se estiver solto, come a própria bosta!!!!!!!!
    É uma pena.
    Era um excelente poeta.

    Comentário por ORRAIO — 17 janeiro 2011 @ 18:34 | Responder

  57. Caro primo-professor
    Chamo sua atenção para um erro primário cometido na ilustração deste seu post. Com certeza, esta personagem da foto não se trata do grande poeta FG (como é conhecido em todo o mundo). Isto, isto mesmo, isto aí é a velha-surda da “Praça é Nossa”. Só faltou a sombrinha! Tenho certeza, pois tenho muitas fotos daquela maravilhosa comediante, desde quando fui presidente do seu fan-clube.

    Comentário por Kid Prado — 17 janeiro 2011 @ 19:09 | Responder

  58. Carissimos Irmãos da Solene Confraria,

    É um completo despautério, uma analogia paupérrima, que este decrépito pseudointelectual de cabeça chata, mergulha na mentira, ao comparar o Mephisto de Garanhuns, um reles apedeuta comunista, com um dos maiores vultos da história pátria, o inclito e saudoso Marechal Emilio Garrastazu Médici, que tanta falta nos faz nestes momentos aberrantes do comuno-feminismo.

    Nunca desde seu passamento ao panteão dos heróicos defensores da democracia, nossa Nação teve a seu comando uma criatura de tão bom coração, corajosasa atitudes, cordialidade a toda prova, que tão bem tratou a todos, principalmente aos funestos traidores comunistas, só faltou alimenta-los com brioches e chás da tarde, um inimigo da tortura – verdadeiro epitome do Pai da Pátria – Ave Emilio, que saudade vossa excelsa presença nos trás, que vossa excelencia vele por nossa Nação desde o Paraiso onde se encontra, em Glória.

    Comentário por Aurélio Monte y Vaz — 17 janeiro 2011 @ 20:37 | Responder

  59. Lula pirou de vez
    Gullar é nosso rei
    PCB PPS PSDB
    se viver mais um mês
    o DEM terá sua vez

    Comentário por Patricio Lombroso — 17 janeiro 2011 @ 20:53 | Responder

  60. Dando prosseguimento ao Enem para fabrícios que querem entrar na comunidade :

    Quem lançou a frase “macha cheirosa” ?

    1-) Dona Benta

    2-) Eliane Cantanhede

    3-) Aquela repórter famosa….como se chama mesmo ??

    4-) Boris Casoy sobre os garis

    5-) Um urubú sobrevoando Pindamonhangaba e vendo merenda tranportada em carro funerário

    Comentário por Padre Iscariotes — 17 janeiro 2011 @ 21:11 | Responder

    • Perdão padre, mas na pegunta o sr, escreveu “macha cheirosa” quando devia ser “massa cheirosa”. Um erro de digitação, evidentemente, ou o sr. está se referindo àquela “moçoila” do Big Brother que viajou para a Tailândia e “extirpou o mal pela raiz”?

      Saudações

      Comentário por Padre Quevedo — 18 janeiro 2011 @ 10:17 | Responder

      • Agradeço vossa observação, comprovando que nada escapa ao vosso rigor científico. Com certeza “macha cheirosa” merece o comentário “Isso non ecziste!”. Ou é uma coisa ou outra. Hoje tem malhação.

        Comentário por Padre Iscariotes — 18 janeiro 2011 @ 11:07

  61. 2-) Quem disse “todos sabem das ligações do PT com as Farcs e o narcotráfico ?

    a-) o último dos moicanos
    b-) a loira do banheiro da escola
    c-) o índio da merenda da escola
    d-) o índio camisinha furada
    e-) Peri no 2º ato de Il Guarany

    Comentário por Padre Iscariotes — 17 janeiro 2011 @ 21:18 | Responder

  62. 3ª questão

    Quem disse a frase “não se abandona um líder ferido na estrada”?
    A-) Jesus Cristo na parábola do bom samaritano
    B-) Forrest Gump se referindo ao companheiro Buba
    C-) Paulo Preto
    D-) Ops, Paulo Afro-descendente
    E-) Algum professor durante o “bem recebido” ato de protesto por melhores salários em São Paulo

    Comentário por Padre Iscariotes — 17 janeiro 2011 @ 21:26 | Responder

    • Excelência Reverendíssima (já promovido a bispo) Padre Iscariotes,

      Sua preocupação com a educação me foi tocante (epa!).
      Não pude deixar de sentir (epa! de novo?)uma forte emoção ao ver sua preocupação em filtrar as hordas de ineptos e ignaros q tentam pular a cerca de nosso esplendoroso sítio.

      Lembrou-me imediatamente de dois homens bons e uma mulher (se boa, não sei, não vi de perto, nem fiz fom-fom), da mais digna estirpe intelectual paulista, que afundara… err… aperfeiçoaram a educação paulista: Gabriel Educação Continuadamente Pior Chalita, Maria Helena Livro Errado Guimarães e Paulo Privatizador Renato de Souza Gates.
      Pessoas do mais alto gabarito para educarem os filhos de nossos servos para q fiquem eternamente na escuridão funcional, incapazes de ler um manual e interpretá-lo, incapazes de ler uma página de um clássico sem ter de recorrer ao dicionário umas 10 ou 20 vezes.
      Tenho orgulho desses senhores ao manter os serviçais em seus devidos lugares ainda q tentem estudar.
      Inclusive o Sr. Paulo Privatizador Renato de Souza Gates é um fenômeno educacional e administrativo, ávido de fazer negócios com homens bons de Benz (o namarianews tem sua capivara… err… currículo).
      Sua última trambicage… err… projeto educacional seria despedir TODOS professores da rede estadual, abrir umas 3 firmas “especializadas” em fornecimento de mão de obra na área de educação, fazer uma licitação fajuta, lotear as escolas públicas, RECONTRATAR os professores pela metade do salário anterir, mas custando o triplo ao estado.
      O capitalismo (dos amigos de Benz) não poderia ter um representante neocon mais proeminente!!!
      Como os EUA e a CE ainda não contrataram os serviços desse senhor para também dispararem na qualidade dos índices educacionais e da produção científica por uns módicos US$ 100,000.00 por dia?
      Esse cara é um monstro! (sim, no bom sentido)

      Padre, foi por certo se espelhando nesses 3 casos q o Sr., num repente de bondade, prestou-se a aplicar um filtro aos neófito deste sagrado espaço cibernético?
      O teste é só para homens? Seja exigente ao máximo… nada de parvos neste panteão da sabedoria!!!
      E as mulheres? A prova será oral, manual (refiro-me à escrita, lógico), teste do fom-fom, doutrinação noturna, t.a.a., n.d.a.? Ou terão aprovação automática à la Chalita? (mas lembre-se: se colocar tribufu aqui, terá a profunda ingratidão dos nossos confrades)

      Se precisar de staff para os exaustivos testes com as novas pupilas, por favor conte com minha disponibilidade 24 h/dia. É para isso q servem os amigos!!!

      Comentário por Don Rodrigon de Compostela — 17 janeiro 2011 @ 23:50 | Responder

      • Nobilíssimo e didático Don Rodrigon, excusas pela demora, primeiramente. Acato vossa sugestão relativa à aprovação automática para as fabrícias, que deverão apenas passar pelo teste oral, de chofre, submetidas à complexa prova Danusa Leão, que mede simultaneamente, conhecimento e bons modos de não falar com “boca cheia”. Alvíssaras.

        Comentário por Padre Iscariotes — 18 janeiro 2011 @ 12:07

      • Confrade Padre,

        Ao citar a mulher boa (de BMW) – e mulheres boas não metem a boca onde não são chamadas (será q é esse mesmo o ditado?), a tal de Danusa, somente agora (afinal são tantas emoções… até lembrar…) veio-me à mente um caso muito famoso, q envolvia uma gulosa (estou me referindo ao fato dela ser cheinha, mas muito apetitos… err… competente, lógico), uma tal de Monica Samille Lewinsky, expertise em assuntos orais e presidenciais.

        Inclusive a Sra. Hillária, ao saber do episódio, sentiu imediatamente o aparecimento de duas incômodas protuberâncias no osso frontal, sendo até motivo de comentários maliciosos, mas ao ouvir várias vezes 5 cd’s de sertanejo “corno manso”, concluiu q não era nada grave, e o amor($) supera todos esses pequenos aborrecimentos… “é o amor…”

        Muito bem colocada (epa!) sua observação sobre os testes, mas poderíamos estender as provas admissionais por uma semana, por ex, disponibilizando alguns modestos aposentos de meu idílico bangalô às candidatas fabricianas.

        Comentário por Don Rodrigon de Compostela — 18 janeiro 2011 @ 13:41

  63. Senhores,

    Cada vez mais o nosso partido PSDB, de Lord Alckimin, mostra que em São Paulo o buraco é mais em baixo, que aqui o que conta é a eficiência, não é mesmo? Um bom exemplo na utilização plena das viaturas pagas com dinheiro público. Se fosse com o PT elas seriam usadas só por meio período:

    “ESQUEMA DE ALCKMIN EM PINDAMONHANGABA MISTURA CADÁVERES E MERENDA ESCOLAR
    Parece manchete de jornal sensacionalista, mas é a mórbida realidade dos serviços municipais na Prefeitura de Pindamonhangaba (SP). A prática de utilizar um mesmo veículo para entregar panelas de merenda escolar, de dia, e transportar cadáveres, à noite, é a ponta de uma rede de conveniências cujos fios se interligam ao governador Geraldo Alckmin através de sua sobrinha, vice-prefeita da cidade, e de seu cunhado & familiares da esposa, dona Lu Alckmin, acusados de operar um esquema de merenda em 20 municípios dos estados do Rio, São Paulo e Espírito Santo. A linha de frente do empreendimento é a Verdurama, empresa de lubrificação de licitações municipais com o pagamento regular de propina às prefeituras e secretarias de educação. À robusta receita de superlucros à base de subnutrientes adicionou-se em Pinda o controle do serviço funerário local, com terceirização do transporte de defuntos a cargo de coligada da Verdurama. O Estadão desta 2º feira traz o depoimento de um ex-agente funerário que dá os detalhes da maximização de uso dos fatores. Colunistas da página 2 da Folha, indignados com a emissão de passaportes especiais a membros da família do ex-presidente Lula, certamente não pouparão o verbo idôneo diante deste, digamos assim, ‘arranjo’ tão a gosto do modo de gestão tucano, que consiste em ‘fazer mais com menos’, não importa a que custo social.”

    Saudações!

    Comentário por Padre Quevedo — 17 janeiro 2011 @ 21:59 | Responder

  64. Salva de palmas ao “jovem poeta”!
    hahahahahaha

    Comentário por Paulo — 17 janeiro 2011 @ 22:11 | Responder

  65. Este artigo deveria ser cravado em uma placa de ouro com as letras em diamantes. Quanta sapiência.

    Comentário por Edson Luis Stinghen — 17 janeiro 2011 @ 22:18 | Responder

  66. Caros confrades,

    O poeta FG está correto ao dizer que é fácil governar quando “é só sentar-se e comer o almoço que os outros prepararam”.Vamos relembrar, pelas palavras do seu colega colunista Gilberto Dimenstein, como o nosso Brasil vislumbrava um futuro próspero a época do fim da era do nosso príncipe FHC, e que só não elegeu Dom Chirico, devido às velhacarias do sapo barbudo e sua quadrilha.

    por Gilberto Dimenstein (http://www1.folha.uol.com.br/folha/dimenstein/gilberto/gd211002.htm)

    Quem tem medo de Regina Duarte?

    A atriz Regina Duarte foi a principal estrela das eleições na semana passada porque disse, no horário eleitoral gratuito, estar temerosa de que Lula esfarele as conquistas do Plano Real e de que não tire do papel nenhuma promessa social. Virou alvo da pancadaria de muitos artistas, que a acusaram de terrorista e até de venal.

    Num discurso articulado pelo PSDB para mostrar que, com Lula, a crise vai aumentar, ela expressou o temor do eleitor desconfiado das qualificações do candidato do PT e atormentado com as perspectivas econômicas.

    A julgar pela pesquisa do Datafolha publicada hoje, não existe um só sinal de que esse discurso tenha abalado os eleitores a ponto de suscitar, mesmo timidamente, uma virada.

    A uma semana do pleito, a avalanche Lula mostra que os brasileiros estão várias vezes mais dispostos a ter esperança do que a ter medo. As advertências sobre as possíveis dificuldades esvaem-se numa festa do tipo “paz e amor”, em meio às promessas de milhões de empregos e de crescimento econômico.

    Nas conversas reservadas, articuladores do PT já se sentem com um pé no Planalto e outro fora do palanque, trabalham mais com as previsíveis agruras do futuro próximo do que com as festas da esperada vitória e levam tão a sério o discurso do medo, de Regina Duarte, quanto o da esperança, de Lula. De verdade, estão mais para medo que para esperança.

    Por isso querem anunciar, ainda neste mês, logo depois da esperada vitória, os nomes de quem vai comandar o Banco Central e o Ministério da Fazenda, ambos obrigatoriamente aceitáveis pelo chamado “mercado”.

    Quem tem informação tem medo -e sabe que, no primeiro ano de governo, se a situação não piorar e só continuar como está, já terá sido uma conquista e tanto.

    A situação econômica está tão delicada e a conjuntura internacional, tão desfavorável (tem-se como quase inevitável uma guerra contra o Iraque, enquanto as economias de países ricos capengam) que Serra também não chega a ser um calmante. Eleito, terá de governar com a maioria dos brasileiros frustrados, decepcionados com a falta da sonhada mudança em que acreditaram, instigados pelas ilusões eleitorais.

    As promessas de crescimento econômico do candidato do governo têm, pelo menos nos dois primeiros anos de mandato, as mesmas chances de sair do papel do que as de Lula.

    Serra terá de montar uma ofensiva de comunicação -o que, como se vê na campanha, não é o seu forte.

    Por carregar a bandeira da mudança, Lula vai ter de administrar, ainda com mais dificuldade do que Serra, a inevitável frustração popular. Os articuladores do PT ainda não sabem -e apenas estão começando a pensar no assunto- como deverão reagir para manter a legitimidade presidencial e, assim, assegurar apoio no Congresso, quando, passados 12 meses de governo, pouco puder ser apresentado.

    Nesse momento, cercado de pressões, Lula repetirá o discurso da ortodoxia econômica (aquele que abateu a imagem do atual governo) ou vai buscar algum atalho?

    É fácil o PT prometer, como prometeu mais uma vez na semana passada, superávit primário (ou seja, dinheiro para pagar as dívidas), num sinal para os investidores de que manterá os acordos com o FMI. Difícil é ver tantos recursos drenados para pagar dívidas quando se está cercado de cobranças (não dos credores, mas dos eleitores) e aparecem números sombrios nas pesquisas que medem prestígio presidencial.

    Não será agradável -por ser muito difícil- justificar o aperto fiscal usando como argumento a importância de não brigar com o FMI e com os banqueiros, tão acusados de perversos especuladores em palanques passados.

    O tamanho do desafio do próximo presidente pode ser avaliado com base em uma informação do balanço da gestão FHC, produzido pela Folha e publicado na quinta-feira passada. O Plano Real tirou 10 milhões de brasileiros da linha da pobreza, graças, em larga medida, à estabilidade financeira, à ampliação da previdência rural e aos programas de renda mínima.

    Mesmo assim, a imagem de FHC está associada ao retrocesso social -o que municia a campanha de Lula. E notem que FHC se salva por causa da estabilidade.

    P.S. – O episódio protagonizado por Regina Duarte provocou ridículos comentários por todos os lados. A atriz identifica-se há muito tempo com o PSDB. É estupidamente óbvio que ela tem o direito de fazer campanha e dizer o que bem entender: não merece receber acusações e ataques baixos como recebeu de artistas. Mas também é certo que aqueles que não gostaram do que ela disse critiquem a sua atitude -e isso nada tem a ver, como quiseram afirmar dirigentes do PSDB, com patrulhamento.

    Comentário por Venceslau Pietro Pietra — 17 janeiro 2011 @ 22:44 | Responder

  67. Summa summarum, nas palavras da duquesa: “ Nunca se imagine como não sendo outra coisa do que aquilo que poderia parecer aos outros que aquilo que você foi ou poderia ter sido não fosse outra coisa do que o que você poderia ter sido parecia a eles ser outra coisa.”
    Conselho da deusa: Lead, follow or get out of the f…… way!

    Comentário por Mare Hollysmoke — 17 janeiro 2011 @ 23:16 | Responder

    • Respeitável comadre Hollysmoke,
      temo que vossas folhas de chuchu desidratadas tenham contraído algum fungo pela umidade a que, possivelmente, tenham ficado expostas.
      Peço-vos que vos acautele em seu uso para que não tenhais a saúde mental comprometida, como é imperativo que se conclua pela leitura de vosso texto.
      Saudações Serapiônicas.

      Comentário por Comendador Gengis Von Chirico — 17 janeiro 2011 @ 23:33 | Responder

  68. Notem, nobres senhores, o compêndio que lhe orna as mãos juvenis.
    Atentai para o título: “Memórias e Patrimônios: Experiências em Formação de Professores”!
    Professores, caros confrades! Professores! Essa cambada de baderneiros comunistas que vive a agitar nossa capital do estado com passeatas e incitações ao crime e à desobediência.
    Como se depreende facilmente, as “experiências em formações” tem cunho eminentemente militar, pois é sabido que os comunistas são peritos nessas artes, haja vista as coesas formações de professores fortemente armadas, reconhecidamente temidas por sua letalidade, que atacaram as forças da ordem na última greve bolchevista.
    Mas nosso jovem tribuno do povo não dorme no ponto e estuda cautelosamente e com afinco as possíveis manobras diversionistas dos baderneiros para lhes por cobro e frustrar-lhes os objetivos inconfessáveis, auxiliando destarte as tropas de D. Geraldo, o Alckmin e de D. Chirico, o Serra a sufocá-las e reduzí-las à impotência!
    É de jovens assim que necessitamos: verdadeiro estrátego das forças do bem!

    Longa vida ao Poeta Armado! Que Nosso Senhor lhe conceda pelo menos mais uns dois ou três dias de profícua convivência entre nós!

    Ave Ribamar, o Apolíneo!
    Anauê D. Geraldo, o Manso!

    Comentário por Comendador Gengis Von Chirico — 17 janeiro 2011 @ 23:20 | Responder

    • Desejamos todos longínqua vida, similar a de um inseto díptero. (vulgo mosca varejeira)

      Sábia conjunção de vocábulos, Comendador Chiriquento!

      Comentário por Channel & Dior — 17 janeiro 2011 @ 23:31 | Responder

  69. Maléficos Facistas,

    Ao ver este degenerado traidor da causa do povo, somete posso denegri-lo em sua esquecida masculinidade, uma vez que é um “hariovaldo” movido a viagra, que flanou pelas pr´ticas, não socialistas, da homodepravação e da luxuria, através de seus pseudo poemas, um sub intelectual que demitido foi e agora verte seu fel de racalcado, contra o maior dos brasileiros.

    Um verme cooptado pelo fascismo, que no inverno de sua vida inutil, assaca inverdades torpes contra um lider de massas, tenta com suas acusações levianas atacar um farol que brilha a iluminar a estrada dos que se entregam ao bem do povo, nosso companheiro de lutas: o GRANDE LULA.

    Que a lápide deste abjeto ser, estaja escrito: Aqui jaz um inimigo do POVO.

    P.S.: Querido Aurélio de Monte y Vaz, nossa história será revelada, pague a pensão ou serás desmascarado… me aguarde.

    Comentário por Nadja Krupskaya Ruiz y Monte Vaz — 17 janeiro 2011 @ 23:32 | Responder

    • Prezadíiiiiiissima Confrater Nadja Krupskaya Ruiz y Monte Vaz,

      Sei dos perigos de uma mulher q não pode ir às compras por falta de… digamo… um troquinho básico de 5.000,00 reais para um dia de comprinhas. Quem pode viver desse jeito?
      Daqui a pouco as mucamas estarão se esbaldando de ganharem isto em um ano… assim não pode, assim não dá!
      Tens razão na sua indignação! Se vira nos 30, Aurélio, senão o biho pega… uma mulher sem dinheiro é pior q uma mulher traída!

      Não querendo ser indiscreto (que fique só entre nós e a torcida do Manchester United – corinthians, nem pensar… plebe!), muito sugestivo o número de seu comentário…

      Como este é um assunto q deve ficar recluso à privança dos interessados, despeço-me sem saber quem Monte em cima ou Monte em baixo e depois se Vaz fundo ou não… oh quesito inclemente… saí tal qual entrei… aliás, q vim fazer aqui se esse assunto não me diz respeito?

      Comentário por Don Rodrigon de Compostela — 18 janeiro 2011 @ 00:54 | Responder

    • GRANDE LULA + polvo = grande risoto.

      Comentário por Mare Hollysmoke — 18 janeiro 2011 @ 01:20 | Responder

      • Prezada Mare Hollysmoke,

        Muito me apraz vê-la por estas paragens.
        Quando vir sua irmã Marelynn Hotsmoking, por favor transmita-lhe minhas calorosas… hummm… resPEITOSas… humm… cordiais saudações.
        Ela ainda faz consultorias personalizadas? Essa moça leva jeito pra essas coisas… rsrs

        De resto, muito me apraz encontrar ainda vetustas personagens deste honorável sítio; se me permitir uma pequena intromissão (epa!), vai largando esse negócio de folhas de chuchu; decorre disso afecção ocupacional, tipo limp brain.
        Alvíssaras!

        Comentário por Don Rodrigon de Compostela — 18 janeiro 2011 @ 11:26

      • Don Rodrigon, o senhor sempre galante e à póstos, hein? A imaculada – mas um tanto exaustiva – sra. Marelynn Hotsmoking, segundo me disse Dom Baitólo, está dando (ui) consultoria à uma turma de jovens senhoritas, a pedido de um tal de “Berlusca” (o senhor conhece?). Devem de ser aulas de colocação pronominal, naturalmente. Comoveu-me sua preocupação e é certo é que eu posso deixar o negócio da folha de chuchu,mas será que o chuchu deixará o negócio da folha e vice-versa?? Pela deusa!

        Comentário por Mare Hollysmoke — 18 janeiro 2011 @ 20:07

  70. Caríssimo e infeliz confrade Aurélio Monte y Vaz,
    não bastasse vosso filho, o Júnior, a vos ser um pelouro de 36 preso aos pés, tendes que suportar agora vossa ex-esposa?
    E ainda acompanhada de tais comunistas sobrenomes?
    Desculpe-me confrade, mas parece que cometestes em vossa juventude mais desatinos que a maioria de nós e pagais o preço no inverno de vossa existência.
    Fostes temerário e imprudente ou apenas a má sorte vos perseguiu a bom galope?
    Meu caro senhor, o que podemos fazer para ajudar-vos é colocar a CAGAMEDO no encalço desses seres abjetos que vos assacam e rezar a São Serapião que a sorte vos sorria, permitindo a neutralização física dos mesmos.
    Se concordares, posso telefonar aos amigos Frias para que coloquem o veículo de sempre ao nosso dispor.
    Vosso desejo me será uma ordem.
    Cordialmente,

    Gengis Von Chirico

    Comentário por Comendador Gengis Von Chirico — 18 janeiro 2011 @ 00:06 | Responder

  71. Ainda por cima o garoto é bonitão. Ah se um gatão desses aparece aqui pelas bandas do Matumgrosso …

    Comentário por Profa. Martha de Freitas Pannúnzio — 18 janeiro 2011 @ 10:37 | Responder

  72. Gularíssimo Mestre
    Nosso belo e jovem poeta continua na mesma linha de defesa dos principios dos homens bons como sempre foi a turma do partidão. Nossos fieis servos infiltrados na plebe e defendendo nossos ideais. Uma pena que ele e o PPS não devem durar muito tempo, pois infelizmente a massa ignara não crê mais em nossos isentos meios de comunicação e a cada dia que passa mais acham que PPS e PSDB é uma coisa só. Logo vão confundir o principe dos poetas com o principe dos sociólogos. É o fim dos tempos!

    Comentário por Opus Dei — 18 janeiro 2011 @ 22:53 | Responder

  73. gullarizado mestre:
    pergunta um irmão de votos quem terá feito a conversão do sr. ribamar ferreira
    às nossas hostes. fácil: o otavinho ditabranda liberou uns dinheiros da sagrada
    folha.
    deste pupilo embevecido,
    romério romulo cordeiro campos valadares castelo branco souto maior

    Comentário por Romério Rômulo — 21 janeiro 2011 @ 04:49 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: